Análise, Saúde e Bem-estar

A lei das TNC e as “dúvidas” que são forjadas sobre os Terapeutas…

A lei das TNC e as “dúvidas” que são forjadas sobre os Terapeutas

Antes de tudo quero afirmar, categoricamente, que sou totalmente a favor da regulamentação das TNC (embora não concorde com esta nomenclatura, intrinsecamente negativa e diminutiva do seu valor e da competência de quem as pratica) e concordo com todos os que afirmam que para bem de todos os cidadãos, estas práticas devem ser regulamentadas. Dito isto, ficou claro: não era preciso mais de uma década para regulamentarmos as Terapias complementares, agora referidas como TNC – Terapêuticas Não Convencionais.

Bem, mas o caso tem sido atrasado, esquecido e, agora, debatido e rebatido por todos e mais alguns, mesmo por aqueles que têm “interesses a defender” (perder protagonismo, perder autoridade, perder poder… entendo, ninguém gosta).

A confusão que se quer instalar, tem como principal objetivo, no meu entender, confundir os cidadãos que recorrem às TNC, com resultados comprovados pelos próprios (trouxeram-lhes uma qualidade de vida muito maior). Dividir para Reinar… lema das grandes ditaduras e de quem, sem nenhum argumento plausível, tenta destruir o trabalho de quem se dedica, de forma séria, competente e honesta.

O que me intriga é esta necessidade de dizer mal, de por em causa tudo e todos… mas percebo o obetivo: denegrir as TNC.

Pois bem, afirmo que a formação que tenho em Medicina Tradicional Chinesa, ( sou licenciado em outra área) apesar de não ser considerada de nível superior, obedeceu aos mais exigentes padrões de ensino nestas áreas, como pude comprovar no Ultimo congresso Mundial de Medicina Tradicional Chinesa, em Barcelona, Setembro de 2015, enquadra-se na estrutura curricular que está a ser desenhada para as licenciaturas em TNC e, que faz de mim e da minha pratica clinica, competente. E como eu, muitos dos terapeutas que trabalham por este país fora.

Claro está que também temos “terapeutas” que não são competentes, que cometem erros, que não dignificam a classe, que não têm formação suficiente ou deficitária… sim concordo com estas críticas… mas não podemos meter tudo no mesmo saco.

Ou será que na classe médica, nos enfermeiros, nos fisioterapeutas, nutricionistas e demais áreas da saúde não existem pessoas incompetentes? Que erram demasiado? Que exercem a profissão de forma pouco séria? Que se deixam influenciar por empresas, que de agências de viagens, nada têm? Mas pergunto: são todos assim? Não, eu acredito e sei que não… temos muitos e bons médicos, enfermeiros, fisioterapeutas e nutricionistas… Então por que razão se mete tudo no mesmo saco quando se fala de TNC? E, já agora, estaremos a falar também dos médicos, enfermeiros, fisioterapeutas, farmacêuticos, nutricionistas que utilizam as técnicas das TNC nos seus trabalhos? Será que a formação deles – na maioria dos casos a mesma que tenho, nas mesmas escolas – têm mais competência que eu? Não, desculpem não têm… mais vos posso dizer: conheço algumas formações dadas por entidades credenciadas que fica muito aquém daquelas que eu tive, tenho e terei, porque estamos em constante evolução e aprendizagem.

Não quero alongar muito mais, pois teremos oportunidade de abordar este tema mais vezes. Contudo tenho que afirmar que a maioria dos terapeutas de TNC que conheço são competentes, com formação adequada e capazes de realizar um trabalho de excelência e por isso os cidadãos, que se devem informar sobre a quem recorrem, podem estar seguros que os terapeutas de TNC prestam-lhes um serviço de excelência.

Dividir para reinar, insinuar, denegrir e, muitas vezes insultar, tem sido a “arma” que os opositores às TNC recorrem porque já não têm mais argumentos… bem, têm sempre um: diagnósticos e terapêuticas baseadas em filosofias ou em teorias sem qualquer base ou comprovação científica… este sim, é dos bons… basta fazer uma pesquisa…

Nuno Pacheco

Se gostou deste artigo partilhe com os seus amigos

Veja também