A Lua está Cheia em Carneiro!

A Lua está Cheia em Carneiro – 16 de Outubro 2016

Esta lua cheia no grau 23 de Carneiro tem a particularidade de fazer conjunção a Úrano, o que faz da sua expressão energética uma caixinha de oportunidades. Para além disso Plutão encontra-se no ponto médio entre estes 3 corpos celestes em oposição representando o foco sobre o qual se concentra este conflicto. (consultar Outubro Astrológico para ler mais acerca deste trânsito).

lua-cheia-em-carneiro

Este é o culminar de um ciclo em que literalmente reflectimos sobre o que a nossa Consciência nos mostra acerca do impacto que as nossas decisões e motivações pessoais têm sobre os outros e sobre tudo e todos com os quais nos relacionamos (começando por nós mesmos). Esta tomada de Consciência implica uma profunda necessidade de desapego, de libertação, de reconhecimento real, profundo acerca de todos os padrões inconscientes que ainda condicionam o nosso compromisso consciente com a vida. Ocorre uma necessidade visceral por esta liberdade, sem dúvida, mas ela tem necessariamente que reflectir (afinal trata-se de uma Lua Cheia) o propósito de Criar única e exclusivamente um estado de harmonia interna que terá objectivamente reflexos no exterior e nas nossas relações. Afinal é sobre isso que o eixo Carneiro / Balança nos pretende fazer reflectir, que a vida é tão, e somente, um Reflexo… Não existe nenhum acto isolado em si mesmo, ele encontra sempre o seu par no exterior. Todas as nossas iniciativas atraem energia correspondente que por sua vez definem a qualidade das pontes e do caminho que vamos construindo.

Com esta Consciência de que a vida é uma “casa de espelhos”, conseguimos no culminar da experiência, estar receptivos às mudanças que internamente teremos que abraçar para que o verdadeiro casamento (aquele que ocorre entre a Alma e a personalidade) seja cada vez mais uma realidade. Rompem-se necessariamente todos os “casamentos” onde não mais existe o Amor, onde não encontramos mais forma de evoluir e progredir no nosso desenvolvimento, porque no fundo nos “des-Alm-amos”, porque essencialmente “A” projectámos no outro a quem chamámos de “Alma gémea”. Este é o momento certo para que se “fale agora ou se cale para sempre”. E, com esta Lua Cheia, “para sempre” é algo que nos apercebemos que não existe, e está longe de representar a estabilidade, paz, harmonia e equilíbrio que por tanto almejamos. E porque temos Úrano e Plutão envolvidos neste “matrimónio” a coisa “ou vai ou racha”.

A sugestão (porque nunca se trata mais, do que somente isso) é aceitar, literalmente, o Desafio. Não procurar possuir mas sim usufruir do que a vida nos traz por correspondência connosco mesmo. Romper com todos os cordões umbilicais que ainda projectamos em todas as nossas relações, sem que para isso tenhamos que fingir uma falsa liberdade, porque essa mantém-se separada de nós mesmos… por medo. Amar sem apego, porque apenas o Desapego, aquele que é verdadeiramente sentido e não somente pensado, nos permite ter Gratidão pelo que da vida recebemos, em “espelho”, por Correspondência, e nos faz querer partilhar os frutos das nossas conquistas com os outros sem nunca nos sentirmos “dividos” mas antes “multiplicados”. Não nos esqueçamos de que todas as Balanças precisam de ser calibradas de tempos-a-tempos porque o nosso ponto de Equilíbrio entre a dualidade da vida e das circunstâncias, entre o que gosto e não gosto, dá prazer e não dá prazer, varia e está directamente associado ao nosso nível de Consciência. Por isso, talvez este seja o culminar de uma etapa das nossas vidas em que é necessária alguma forma de Coragem para gerar as mudanças urgentes à libertação de peso que acumulámos em cada prato da Balança e assim vivermos numa relação mais Autêntica connosco mesmos e com a vida. Sair da indecisão para reencontrar a verdadeira Paz, Harmonia e Equilíbrio que tanto desejamos. Esta Lua Cheia em Carneiro propõe que arrisquemos abraçar estes sentimentos mais revolucionários sem no entanto nos podermos dissociar da voz da Consciência que nos diz que; depois de definirmos as nossas metas o que importa não é se as conseguimos alcançar a qualquer custo, mas antes a qualidade do caminho que construímos até lá.

Úrano é regente hierárquico de Carneiro, e quando conseguimos alinhar a nossa Alma com esta intenção tão elevada, tudo o que sentimos que devemos fazer, todas as nossas metas, objectivos e motivações pessoais servem única e exclusivamente para que a Paz se faça sentir em nós e em todos os cantos do Mundo. Estas são as verdadeiras sementes da abundância, aquelas que encerram em si mesmas a Consciência de que tudo o que desejo de prosperidade para mim que seja multiplicado para o outro. Estas intenções teriam o efeito de potencial regenerador e alquímico expresso através de Plutão em Capricórnio como ponto médio onde esta oposição encontra o seu foco.

Bom trabalho para esta Lua Cheia.

© Ana Paula Pestana, All Rights Reserved

Deixe o seu comentário

Tags:
Ana Paula Pestana
anapaulapestana@luanova.pt

Astróloga | Formadora do Ensino em Astrologia e Desenvolvimento Transpessoal na empresa Ascendente, Astrologia para um Desenvolvimento Consciente



#Segue-nos no Instagram