Artigos

Astrologia e Música na Tradição

O conceito de artes liberais foi originado na Antiguidade, mas foi no período Medieval que alcançou o seu expoente máximo fazendo parte integrante do Studium Generale nas Universidades criadas na Europa a partir do século XII.

1317b745-ba59-4d5d-89e1-579684971854

As Sete Artes Liberais, figura do Hortus Deliciarum de Herrad de Landsberg (século XII)1

Em Portugal, «Ao assinar o “Scientiae thesaurus mirabilis”, D. Dinis criava a Universidade mais antiga do país e uma das mais antigas do mundo. Datado de 1290, o documento dá origem ao Estudo Geral, que é reconhecido no mesmo ano pelo papa Nicolau IV. Um século depois do nascimento da nação, germinava a Universidade de Coimbra. Começa a funcionar em Lisboa e em 1308 é transferida para Coimbra, alternando entre as duas cidades até 1537, quando se instala definitivamente na cidade do Mondego.»2

O Estudo Geral continha as sete artes liberais, que faziam parte da formação base universitária, composta por dois grupos de disciplinas, o Trivium e o Quadrivium.

O Trivium (três vias), dedicado à aquisição e desenvolvimento de competências ao nível do raciocínio, linguagem e literárias, conferia disciplina ao intelecto para o estudo adequado da matéria e do espírito, era composto pelas disciplinas Lógica, Retórica e Gramática.

O Quadrivium (quatro vias), dedicado à aquisição e desenvolvimento de conhecimento na área científica ou artes numéricas, era composto pelas disciplinas Aritmética, Música, Geometria, e Astronomia/Astrologia (que na época eram indissociáveis).

 

Com o domínio destes conhecimentos basilares para a produção de ideias e obras devidamente fundamentadas, o homem estaria preparado para continuar os seus estudos superiores.

Em astrologia o conhecimento superior está inserido nos atributos da Casa 9, onde o Sol tem o seu Júbilo e embora sendo cadente, é importante por ser uma casa que observa o ascendente através de um trígono. Nessa medida é onde se insere o corpo de conhecimento da Astrologia, uma das disciplinas do Quadrivium, assim como naturalmente também integra o corpo deconhecimento da Música, a educação musical nas suas diversas vertentes.

Mas a Música pode estar em qualquer local do mapa, especialmente onde está Vénus e Mercúrio.

Vénus é significador universal de artes e de músicos e como tal também da Música nesse contexto; Mercúrio será significador de Música no contexto do seu corpo de conhecimento, aprendizagem, composição, comunicação e expressão musical. Outros planetas poderão estar associados a estes, em contextos vários relacionados com a Música, nomeadamente a Lua, no que respeita à expressão sensorial, emocional.

A Música sempre foi muito importante e presente na Humanidade, como tal há inúmeras referências à mesma nos tratados de Astrologia, seja na aquisição de conhecimento musical ou na sua composição ou expressão, na construção de instrumentos, na vocação/profissão.

Apresento de seguida alguns exemplos da tradição astrológica:

Ali bin Ahmad al-Imrani, “Livro das Escolhas”3

«Sobre a instrução do canto e de outras áreas do entretenimento – Neste assunto temos que tornar Vénus competente, que ela esteja numa das suas dignidades e o mesmo para Mercúrio. E fazer com que ele esteja junto a ela. Também colocar a Lua numa das suas dignidades, ou em Peixes, separando-se de Mercúrio e aplicando-se a uma conjunção com Vénus.

E que o ascendente seja o de uma das dignidades de Vénus. Se o grau ascendente for uma das dignidades de Mercúrio e Vénus, será bom, porque isso significará a perfeição do assunto.

Vénus, Mercúrio e a Lua não devem estar cadentes. Contudo, se a Lua estiver na 9, que é a casa do conhecimento, afortunada e forte, será bom. Deixa até que os outros fiquem afortunados.

Mas se o regente do ascendente estiver na 9, afortunado e forte, será bom.

Uma certa pessoa disse que seria necessário para tocar a Lira que a Lua estivesse em Capricórnio, mas para tocar um tamborim e outros semelhantes, posicioná-la no final de Leão. Mas para o trompete, deixa que ela esteja em signos mudos. Contudo, os signos com voz são bons para eleições de canto e para tocar instrumentos, especialmente Gémeos e Virgem.4

E neste assunto devemos colocar a 9 e o seu regente, competentes. E se a eleição tiver como intenção um trabalho, será bom ter a 10 competente, que deverá ter-se sempre em conta no início de um assunto.»2

Firmicus Maternus, Matheseos Libri VIII5

Liber Tertius – XII – 1 «Mercúrio com Vénus no ascendente (…). Serão músicos, bailarinos, compositores de música; (…)»

Liber Tertius – XII – 17 «As actividades públicas são indicadas para o nativo que tem Mercúrio e Vénus na décima casa. (…) Numa ascensão matutina, Mercúrio nesta casa com Vénus fará compositores musicais, mas destinados ao palco ou a apresentações públicas. (…)»

Liber Quartus – XIII – 1 «Se a Lua cheia ou crescente se afasta de Vénus para Mercúrio, os nativos tornar-se-ão (…) por vezes músicos (…)»

Liber Quartus – XIV – 16 «A Lua cheia indo de Mercúrio para Vénus, num mapa nocturno, indica elevada posição, actividades famosas e grande sorte. Alguns tornam-se oradores fluentes, outros poetas, dotados do divino dom da canção. (…)»

Liber Quartus – XIII – 17 «Mas a Lua nesta situação (…) tocam órgão ou atuam em pantominas. Alguns são instruídos na dança e no canto. (…)»

Liber Quartus – XIX – 17 «VÉNUS. Vénus como regente do mapa tornará os homens amáveis, alegres faladores, passando o tempo em constante diversão (…) Serão nobres e mundanos e sempre rodeados de música.»

Liber Quartus – XIX – 18 «(…)Vénus como regente do mapa em signos deprimidos produz fabricantes de instrumentos musicais ou pintores que pintam o corpo inteiro (…)»

Liber Quartus – XXVI – 7 «Mercúrio com Vénus, de noite ou de dia, nos termos de Vénus ou nos seus próprios termos, farão músicos. O mesmo é indicado por Mercúrio nos termos de Vénus e vice-versa.
Mas, se Vénus estiver nos termos de Mercúrio, e Mercúrio num signo estranho, ou em termos estranhos, os nativos terão uma voz musical mas serão, de algum modo humildes ou de classe baixa (…)»

5fbb63bd-09f6-42cf-ba9b-1374ec4d6f9d

‘Música’, Joos van Wassenhove (século XV)6

Abu Bakr al-Hasan ibn al-Khasib, De Nativitatibus7

«Nativos que são Carpinteiros – Quando Marte é aspetado por Mercúrio a partir da casa da profissão e o signo de sementes e coisas nascidas da terra, o nativo será um carpinteiro ou de uma profissão que trabalhe com madeira e ferro. E se Vénus os aspetar, o nativo será um construtor de trompetes, flautas ou cítaras, e de instrumentos semelhantes (…)»

Nestas citações encontramos um conjunto de configurações que envolvem especialmente Vénus, Mercúrio e Lua, que procurarei ilustrar com apontamentos simples em dois exemplos.

Amália Rodrigues e Carlos Paredes são dois nomes incontornáveis da música portuguesa, expressaram de forma única a sua musicalidade, e deram um contributo inestimável para fazer do Fado aquilo é hoje.

Foi uma estranha forma de vida porque eu não fiz nada por ela, foi por vontade de Deus, não é? “Que eu vivo nesta ansiedade, que todos os ais são meus que é tudo minha a saudade, foi por vontade de Deus”. Já isto fiz com trinta anos!
Quer dizer já eu pressentia que tinha sido Deus que me tinha feito o destino, que me tinha marcado o destino, que me deu uma natureza para a qual eu nasci, … nasci com esta obrigação de cantar fado! Ou foi o fado que fez isto! O fado é destino, portanto deu-me este destino a mim! Amália Rodrigues8

448244c8-ae79-4293-9321-44e2ed29eb56

6d305374-ef8f-433a-b003-102df4ecb186a0e555c8-f2c0-48fa-a9cc-faee1c70d0de

fae57e4b-f8b5-453e-90c7-d7da0e7c2f1d

Quando eu morrer, morre a guitarra também. O meu pai dizia que, quando morresse, queria que lhe partissem a guitarra e a enterrassem com ele. Eu desejaria fazer o mesmo. Se eu tiver de morrer.” Carlos Paredes9

Cada natividade é única, mas podemos encontrar semelhanças importantes que indicam como a música, a sua composição e expressão, estão intimamente ligadas à pessoa e à sua vocação, tendo ambos vivido na música e para a música.

Amália Rodrigues tem uma base Fleumática/Colérica, com qualidades contrárias, que lhe confere uma natureza temperamental, oscilante, variando entre estados mais reservados, pessimistas e de alguma passividade e outros de grande entusiasmo, extroversão e dinamismo.

Carlos Paredes tem uma base Melancólica, que lhe confere uma natureza reservada, concentrada e profunda, eficiente e dado ao pessimismo, complementado e suavizado por um toque sanguíneo, mais sociável e extrovertido, mas que não é a sua expressão dominante.

Têm ambos mapas noturnos, o que destaca a importância da Lua, como luminar da hora, uma intensidade emocional e profundidade mais marcadas. Encontramos também em comum a conjunção estreita de Vénus/Mercúrio em signos masculinos e diurnos, demonstrando visibilidade na expressão, e em modo fixo, indicando conservadorismo e enorme tenacidade. Em ambos, esta conjunção recebe um aspeto aplicativo da Lua, aliando emoções, sensibilidade e profundidade ao conjunto. O ‘nosso’ conjunto musical.

O que reforça sobremaneira a importância das configurações descritas envolvendo Vénus/Mercúrio/Lua é o facto de incluírem ambas o regente do ascendente, o significador da pessoa e responsável pela realização da sua motivação primária que, em ambos, acontece na casa 5, a casa da criatividade, dos espaços de entretenimento, do palco. É onde está a Lua no caso de Amália Rodrigues, regente de Caranguejo e onde está Mercúrio no caso de Carlos Paredes, regente de Virgem.

É também comum aos dois mapas uma ligação entre a casa 9, onde vimos estar inserido o corpo de conhecimento da Música, e a pessoa. Carlos Paredes tem o regente da casa 9, Vénus em conjunção estreita com o regente do ascendente, Mercúrio, e Amália tem o regente da casa 9, Saturno em sextil com o regente do ascendente, Lua, e também em sextil com o ascendente.

Em ambos os casos temos Marte e Saturno ligados à configuração Vénus/Mercúrio/Lua, sendo cada um deles o dispositor do regente do ascendente, e unidos por aspeto, Lua em conjunção com Marte, seu dispositor e em sextil com Saturno, no caso de Amália; e no caso de Carlos Paredes, Mercúrio em quadratura com Marte e Saturno, sendo o último dispositor de Mercúrio. Isto é significativo na expressão de ambos e uma forte razão para ser o Fado e não outra expressão musical mais leve. Saturno adiciona profundidade, tristeza, melancolia, Marte intensidade e rotura, um conjunto que torna a expressão musical ‘pesada’, por vezes angustiante.

Carlos Paredes ficou conhecido como o “homem dos mil dedos”, significado por Mercúrio, que rege um ascendente Virgem, é a expressão da concentração, do detalhe e da precisão.

Amália Rodrigues ficou conhecida como a “Rainha do Fado”, significada pela Lua (a rainha da noite), que rege um ascendente Caranguejo, é a expressão da emoção profunda, da intensidade e da saudade.

Qual movimento perpétuo10, a guitarra de Paredes, a voz da Amália, o Fado, continuam a envolver-nos…mesmo que o Fado não fosse ainda Património Imaterial da Humanidade.

8df6ab23-84b5-432d-b1fb-2144c20e2290

Se gostou deste artigo partilhe com os seus amigos

Veja também