Receitas

Bacalhau, batata doce e espinafres

Quando me convidam para um almoço/jantar a primeira reacção que o meu cérebro tem em modo automático (reparem que não pode ser verbalizada) é “Espero que não seja porco”. Desculpem, amigos que me lêem e que já me serviram porco. Eu não gosto do bicho. Se tiver mesmo que comer, como; mas se puder ser, façam outra coisa. Não sou nada esquisita – e até vos trago uma alternativa.

Esta receita não é nenhum achado, não tem nenhum segredo excepcional e também não é uma absoluta revolução: a única diferença para as terrinas de bacalhau comuns é a batata doce e o pão ralado caseiro de que já vos falei aqui.
As fotografias foram tiradas minutos antes de um almoço em que convidei, precisamente, uma amiga. Quando a Sofia chegou, estava eu empoleirada no banco do terraço a fotografar. “Dá-me cinco minutos!” – disse-lhe. Enquanto preparava o bacalhau nem me passou pela cabeça que daria um post para o blogue, mas sobrava tempo até à hora combinada e eu aproveitei-o.
Não me digam que a comida não é essencial num momento convívio, que é só um pretexto. 
Já repararam que os melhores momentos, com amigos, com família, são passados quase sempre à volta de uma mesa? E esse tempo de ócio pode ser infinitamente mais prazeroso quanto melhor for a refeição. Melhor não implica despender muito dinheiro. Às vezes, e no caso, basta substituir a batata branca pela doce, ou, num sentido mais lato e metafórico, o porco pelo bacalhau. Não deixem é de me convidar.

 

 

 

INGREDIENTES
[4 pessoas]

4 batatas doces médias
3 colheres de sopa de natas de soja light
Azeite q.b.
1 cebola
1 dente de alho, sem gérmen
500 g de bacalhau desfiado, previamente demolhado
2 mãos cheias de espinafres baby
Sal e pimenta preta q.b., moída na altura

Para o pão ralado
2 ou 3 fatias de pão de centeio
5 pés de coentros frescos
1 dente de alho pequeno, sem gérmen
1 fio de azeite
Sal e pimenta preta q.b.

PREPARAÇÃO

  1. Descascamos as batatas, cortamos em rodelas e cozemos em água fria temperada com sal por cerca de 15 minutos.
  2. Num tacho largo, refogamos em azeite uma cebola cortada em meias-luas finas e um dente de alho picado. Acrescentamos o bacalhau desfiado e deixamos cozinhar até que fique macio.
  3. No processador de alimentos, reduzimos as batatas a puré, adicionando um pouco de água da cozedura se for necessário, e as natas de soja, se for o caso (para uma consistência mais cremosa e aveludada).
  4. Juntamos o puré ao bacalhau. Adicionamos os espinafres e envolvemos por um minuto.
  5. Enquanto isso, fazemos o pão ralado: colocamos o pão, os coentros e o alho e trituramos até obtermos uma textura homogénea e areada. Adicionamos o azeite, temperamos e voltamos a envolver. Reservamos.
  6. Transferimos o preparado para uma assadeira e polvilhamos generosamente o topo com o pão ralado.
  7. Levamos ao forno apenas até o pão estar dourado (cerca de 4 minutos, a 220º C, resistência superior).

Nota: se sobrar pão ralado, guardem-no num saco com fecho zip e congelem para futuras utilizações.

Sweet Bigas

Se gostou deste artigo partilhe com os seus amigos

Veja também