Análise, Numerologia

Código do dia 9:9:9

9:9:9
Código do dia 9 de Setembro de 2016

9/9/2016 = 9:9:9

9+9+9=27 = 2+7=9

Código de frequências do dia – 9:9:9
Frequências impulsionadoras do dia – 27:9
Frequências bloqueadoras do dia – 0 (Zero)
Frequências desbloqueadoras do dia – 18:9 e 36:9

Este é um dia de frequências-chave que poderão ajudar a resolver gigantes quebra-cabeças nas nossas vidas. Este é um momento de pausa e reflexão, de introspecção, mas ao mesmo tempo é também um momento de acção concertada. Para muitos é um dia comum, como qualquer outro, mas para outros tantos, cuja sensibilidade se faz sentir de forma mais acentuada é um dia que requer bastante elasticidade, tanto ao nível do corpo como da mente.

Será um corrupio interno, como se de repente se acendessem milhares de pequenas luzes em simultâneo, no nosso painel de comandos interno e não soubéssemos bem o que fazer com isso.
As luzes piscam, e vários sinais se fazem sentir como alarmes tocando em diversas oitavas, criando agitação e ruído, tanto interno como externo, mas sobretudo interno.

Ante um cenário em que os Números apresentam várias triangulações entre si: 9º Mês em Ano 9, Mês 9, Semana 9, Dia 9…, é importante antes de mais saber que este é um momento decisivo a nível pessoal, individual, que requer concentração, foco e autoconfiança.

Entrar em pânico, duvidar do que se sente, deixar-se guiar pelo medo, ficar paralisado ante uma decisão, ter um colapso nervoso, gritar, fugir da situação, etc. não vai ajudar nada, pelo contrário, pois tudo isso irá activar e aumentar em grande escala a frequência bloqueadora deste dia, que é 0 (Zero). E não se trata apenas de um 0 (Zero), são vários e por isso toda esta conjuntura numerológica está deveras exponencialmente ampliada.

É importante reter que esta energia do Zero funciona como um verdadeiro teste à escala colectiva e individual, pois na verdade ela não pretende bloquear nada nem ninguém. O que se espera é que cada um, de acordo com a sua própria frequência vibratória (que se encontra codificada, sobretudo, na data de nascimento) use as suas capacidades ao máximo, de modo a suplantar os seus desafios individuais e colectivos.

O Zero representa o Tudo e o Nada, portanto devemos perguntar-nos o que representa o Zero, em cada situação na nossa vida?
Por exemplo, se ele representar um obstáculo ou um problema, neste momento, sinto que tudo se avoluma e em vez de um problema, passo a ter mil? Ou, por outro lado, creio ter força suficiente para lidar com a questão, e prefiro lidar com ela numa perspectiva de crescimento e aprendizagem?

Na primeira opção, o Zero passa a representar todos os desafios possíveis (o que obviamente representa um acréscimo de peso, dor e sofrimento à minha vida), enquanto na segunda opção o Zero passa a representar nenhum problema, pois eu encaro a vida com leveza e fé, com os pés na Terra, o coração centrado e o pensamento elevado às mais altas frequências vibracionais, ciente que para cada desafio existe pelo menos uma solução.

Ora, ainda no seguimento desta segunda opção, serão activados os portais, as frequências desbloqueadoras e impulsionadoras deste dia que são todas fortemente influenciadas pelo Número 9 e que irão direcionar-nos para um patamar mais elevado a nível interno. Ou seja a partir de uma “simples” escolha teremos acesso a uma visão mais ampla do cenário onde nos estamos a mover. É aceder à “Big Picture”, e ir além do entendimento habitual, onde sempre tomamos tudo por garantido, onde passamos o tempo a afirmar coisas como: “já sei”; “já percebi”; “eu sei isso tudo”; “diz-me algo que eu não saiba”; etc.

As frequências 18:9, 27:9 e 36:9 pedem-nos que toquemos em pontos essenciais, mas que são tão mal compreendidos e ainda menos bem vividos ou experimentados: a Aceitação, a Bondade, a Graça, a Paz, a Tolerância, a Compaixão. Na prática tudo isto é rejeitado, pois a maioria das pessoas identifica tudo isto com lamechices, tolices e coisas de quem não tem o que fazer. ‘Sim, porque é muito importante estar ocupado a FAZER coisas!’ Ou ainda, identificam , exigindo e cobrando, que isto é prática exclusiva de pessoas muito religiosas ou que se dizem espirituais.
A questão principal aqui é que ESPIRITUAIS somos todos, mas ainda somos MUITO POUCO HUMANOS!!!

E espiritualidade sem humanidade é o mesmo que começar a construir uma casa pelo telhado.
Enquanto não soubermos aceitar que somos TODOS, sem excepção, meros aprendizes nesta Escola da Vida: o Planeta-Escola ou a Nave-Escola ou que lhe quiserem chamar, não seremos capazes de progredir. Enquanto não nos tornarmos aprendizes, enquanto não percebermos que estamos a aprender a aprender, enquanto não recuarmos na nossa infatigável presunção do saber e do conhecimento adquirido, não teremos atingido um nível aceitável de humildade e sem humildade não há progressos.
É por isso que por muitos portais de Beleza, Amor, Altruísmo, Cura, etc. se abram, não vemos mudanças efetivas na nossa realidade dimensional (porque realidades há muitas, mais do que possamos calcular ou imaginar).

Continuamos a ver o horror das guerras, da fome, das doenças, da luta pelo poder (poder podre, sem substância). Na realidade tememos sempre o pior e quanto mais alimentarmos o medo, quanto mais virarmos as costas à nossa realidade absurda e dissonante, mais nutrimos o medo.

Se cada um de nós (somos 7 bilhões, se não estou errada) ganhasse um pouco de consciência planetária e humanitária, e escolhesse outro comportamento, outro cenário, outra postura interna e agisse MESMO de acordo com essa decisão, amanhã mesmo toda a nossa realidade teria mudado, e é isso que todos estes Zeros e Noves nos estão a propor.

Porém, observando de perto a conduta dos seres humanos, como se fôssemos uma única massa compacta, pressinto (e creio que muitos outros humanos também) que esta realidade negra e defunta ainda vai parar sobre as nossas vidas muito depois, das nossas gerações terem partido, pois ainda há muito trabalho a nível global a ser feito.

O que é importante no meio disto tudo é não nos perdermos no meio deste caos (criado por nós é certo) e ir despertando deste nevoeiro denso em que temos estado mergulhados e começar a abrir caminho, sentindo cada um dentro de si, a bússola interna, que nos indicará o caminho adequado para contribuir para uma Nova Terra.

Que muitas bênçãos se derramem sobre todos nós e que a nossa consciência possa alcançar novos patamares em todas as direcções.

12:44
Um Abraço em Profunda Comunhão com a Vida
Eva Veigas

Se gostou deste artigo partilhe com os seus amigos

Veja também