Artigos

Energia de Julho 2017

Energia de Julho 2017

Poderia chamar-lhe o mês das polaridades extremas, porque serão vividas muitas coisas de forma extrema seja a alegria e a tristeza, seja a conquista e a perda, sejam tantas outras emoções e vivências que irão surgir como campo de oportunidade. Sim, porque esta é a energia que antevê o eclipse de Agosto em Leão. Portanto, aqui dão-se passos firmes, os passos do Caminho do Coração em que aprendemos a expressar-nos a partir da energia do coração e a viver de acordo com o que faz vibrar nosso coração.

No pólo oposto a este viver de acordo com o coração temos o viver de acordo com os caprichos da personalidade/ego, com as necessidades como forma de suprimir as carências emocionais, temos a necessidade extrema de nos controlar a nós, aos outros e a todas as experiências.

Este mês pode ser um verdadeiro trampolim, como que a oportunidade de impulsionar, de uma forma intensa e maravilhosa, o crescimento interior e a consciência de quem somos, quais são realmente os nossos valores, bem como a consciência de como as nossas emoções afectam a nossa vida, de forma a podermos reestruturar as emoções, as crenças e os padrões. E se vos disser que isto pode ser feito à velocidade de um relâmpago?

É verdade. Este mês, tanto a Lua Cheia como a Lua Nova serão profundamente intensas. A primeira irá afectar todas as áreas da nossa vida: a saúde, a profissão, as relações amorosas, as relações de amizade, as finanças, a casa, os animais, enfim, cada parte de nós terá um impulso com o objectivo de dar-nos clareza. É como se durante algum tempo essas áreas tivessem estado atrás de uma espécie de nevoeiro, o que não nos permitia ter consciência real, e agora a clareza vai surgir e trazer à tona muita coisa.

Ninguém vai conseguir escapar a sua realidade individual e coletiva.

Darmo-nos conta da nossa realidade como se apresenta, sobretudo quando esta não está alinhada com o coração e a alma, é um momento muito importante, porque ele surge como oportunidade de transformação e reestruturação de quem somos e de como gerimos a nossa vida.

Assim sendo, seremos “obrigados” a estabelecer regras e valores nas nossas relações com outros, sejam elas pessoais, de amizade ou profissionais. Sabem quando parece que estamos todos à espera de uma oportunidade para mudar? Pois é, chegou agora e em todas as áreas da nossa vida.

Esta energia de Julho é o campo de oportunidade de estabelecermos novos valores, de percebermos o que realmente valorizamos nas nossas vida e quem valorizamos, quem realmente é um impulsionador e reconhecedor do nosso potencial e quem, pelo contrário, é o “julgador” de serviço. Ambos são necessários porque o primeiro dá-nos o alento e a força para continuarmos e o segundo dá-nos o campo de observação para olharmos para dentro e percebermos o que precisa de uma transformação criativa da nossa parte tanto no interior como no exterior.

As emoções, essas vão andar ao rubro, vão andar ao rubro como nunca se viu a vida toda, para alguns de nós. Sabem as panelas de pressão? Pois é, vai haver muitos para quem nem tirar o pipo vai dar para aliviar a pressão a que se sujeitou até agora. Sim, porque o agora será o reflexo daquilo que andou a esconder de si mesmo até este momento. E preparem-se, porque para alguns será uma enxurrada de emoções como nunca visto.

Afinal, só quando tomamos consciência do que nos vai no corpo e nas emoções, só através das confusões interiores e da vida é que estamos realmente capacitados e conscientes. Aí sim, há que fazer mudanças profundas, reeducar as emoções, mudar as crenças.

E as relações? Podemos dizer que, como elas são o espelho do que nos vai dentro e são espelho das feridas emocionais, das matrizes do eu inferior, serão o palco central de muitas pessoas este mês. Isto porque desde principio do ano que a energia clama para que possamos observar-nos, para que possamos olhar o facto de que as relações que temos com outros são um reflexo interior da relação que mantemos connosco mesmos. Ora, o que acontece é que estamos no pico do Verão, com o Sol a iluminar tudo. Então, digamos que essa luz irá iluminar as partes escondidas dos relacionamentos. Iremos pois ser capazes de ver, sentir e observar coisas que sempre lá estiveram, mas que fingíamos não querer ver. E agora não vamos ter como escapar.

Isto para quê? Para sermos “obrigados” a agir, a reestruturar a forma como criamos relações e os relacionamos com outros. Para criarmos relações onde a autenticidade e a verdade sejam uma realidade. Mas que verdade é essa de que todos falam? A realidade das relações alinhadas com o Coração e a Alma.

Relações onde possamos expressar a nossa criatividade, partilha, valores, sonhos, objectivos. Relações que, acima de tudo, nos permitam ser e estar em autenticidade connosco e com outros, onde o amor próprio de cada um é a base e a partilha entre todos cada vez mais equilibrada. A alma está a chamar por relacionamentos onde consiga expressar-se e passar a mensagem de quem somos na verdade.

Ao nível profissional não será diferente, porque não vamos conseguir mais trabalhar sem fazer a mudança que vinhamos a adiar. A necessidade de crescer ou mudar-se vai sentir-se de tal forma que, caso persista em não fazer o que sente como verdade/necessidade alinhada com a sua criatividade, podem ocorrer rupturas drásticas como despedimentos inesperados, perdas ou doença física.

Para alguns, o mês de Julho será a oportunidade de limpar a bagagem emocional que tem ocupado as suas mentes, seu corpo e a sua vida. Ao tomar consciência dessa bagagem emocional, abrimos o campo de oportunidade da reeducação emocional, da reestruturação das nossas crenças e valores para que fiquem mais alinhados connosco.

Mas nem tudo é mau, porque também vai haver quem, ao longo deste mês, pelo trabalho interior consciente que tem vindo a desenvolver, vai sentir que pode respirar, vai sentir uma lufada de ar fresco como se de repente o universo conspirasse a seu favor, vai sentir-se invadido por uma energia positiva, uma força, foco e coragem de ser perseverante nos seus sonhos e objectivos, vai conseguir avançar numa nova direção e vai ampliar tudo em si mesmo e na sua vida: o corpo, a mente e o espirito.

Todos terão a oportunidade de mudar a sua vida este mês. É um campo de oportunidade aberto a todos. Se vir alguém ter um rasgo de sorte muito grande, saiba que também você pode ter. Se vir alguém ser amado, lembre-se que também você pode ser. Se vir alguém realizar um sonho, lembre-se que vocês também pode…. Que cada um de nós abra as portas do coração e agarre as oportunidades que estão aí para si!

Este texto irá ser um reflexo dessas polaridades que estão aqui para serem vivenciadas – ora estamos a falar de coisas maravilhosas e felizes, ora estamos a ir a coisas mais densas e pesadas – porque, na realidade, será um mês de uma intensidade energética e emocional muito elevada. Será uma energia que não pode nem quer ser controlada.

Muitos irão sentir necessidade de pôr em causa sua vida toda, os seus relacionamentos, o seu trabalho, o relacionamento com os filhos, o relacionamento consigo mesmos, os seus sonhos, os seus valores. Digamos que as coisas irão mesmo descontrolar-se para que, a partir desse caos, possamos renascer mais conscientes das reais necessidades interiores de cada um de nós.

Ora, com tanta intensidade fora de controle, as ameaças serão muitas e de todas as formas. A violência irá ser desde a psicológica e emocional à física. As demonstrações de poder serão muito intensas, bem como a necessidade de controlar tudo.

No campo da oportunidade, é cada um valorizar-se a si mesmo, percebendo o que merece para si e nos relacionamentos com outros. É a oportunidade de perceber que a única coisa que pode controlar é a sua vontade de conhecer-se a si mesmo e as suas emoções. É a oportunidade de perceber quais as suas carências emocionais e que é o único responsável por as suprimir.

Ao nível do colectivo, esta intensidade é caótica, porque pode trazer catástrofes naturais, acidentes de grande escala, assassinatos, invasões em países, governos que são derrubados e guerras que intensificam. É a teoria do caos. Mas na prática é, como disse no artigo anterior, a necessidade de reconhecer que o sofrimento interior em cada um de nós está a gerar este caos na humanidade e no planeta.

No entanto, nem tudo é negro como parece porque, como é a polaridade ao extremo, é também aqui o campo da oportunidade de criar compromissos de paz entre os países e nações, de criar oportunidades de sustentabilidade, de criar novas leis, novas políticas sociais, de criar novas formas de sustentabilidade ecológica.

Ao rubro estará este mês de Julho, com tanta polaridade nas nossas vidas, onde iremos oscilar entre o ego e as emoções, ou a responsabilidade versus transformação, trabalho versus família, no fundo, o que você acha que precisa versus as suas necessidades reais. A tensão interna será muita e as pressões externas não serão menores, o que pode levar a sentir-se sem energia versus ter muita energia, pode sentir puxado para discussões e conflitos quando deseja estar em paz interior.

A força emocional deste mês não será menor do que a dos meses anteriores. Pelo contrário, os picos de energia vão extrapolar as emoções, o inconsciente vai emergir de forma a que a mente consciente possa olhar de forma objectiva para si mesmo, para as suas relações pessoais e para o que criou como realidade, de forma a perceber as suas dinâmicas nos relacionamentos e quais são as emoções que estão a gerar desarmonia interior e exterior.

Aqueles que irão estar em posição de colher poderão ver muitas coisas nas suas vidas a serem reajustadas com sincronias profundas que quase parecem acontecer como passos de magia, assuntos que estavam pendentes do passado serão encerrados, projectos pendentes irão avançar de forma fluida, e os ajustes emocionais que foram feitos no seu interior irão agora mostrar seus frutos.

Gostava tanto que realmente conseguissem perceber que o poder de destruição e de transformação é o mesmo. Que o potencial de renovação deste mês é tão profundo, que pode encerrar e iniciar na linha de tempo tudo o que tornarem consciente em vós. Realmente, não existe poder maior do que o das nossas emoções, que podem ser impulsionadoras ou consumidoras.

As emoções serão de tal forma intensas e profundas, como a consciência de nós mesmos, que quando emergirem à superfície poderemos mesmo sentir-nos sobrecarregados, fazendo com que as máscaras e matrizes operacionais do eu inferior entrem em acção. Vai ter dificuldade em concentrar-se através da sua mente racional, a menos que consiga permitir-se relaxar e silenciar para ouvir a sua mente intuitiva de modo a ter uma percepção clara das acções a tomar. Senão, ficará obcecado com as emoções, com os problemas e o seu humor será afectado drasticamente.

Os que se permitirem sossegar a mente, dissociando-se dos problemas, e silenciar a mente primitiva, ligando-se ao coração, irão ter profundos insights que irão mudar as suas vidas. Irão abrir-se a um campo de oportunidade que vai trazer-lhe as pessoas certas, no momento certo, para contribuir e ajudar nessa mudança criativa que pretende fazer alinhada com o coração.

Por seu lado, se insistir e persistir, resistindo pelo seu ego a fazer algo que não é mais criativo para sua evolução, será levado a sentir a destruição seja pela perda financeira, pela sua saúde, por perda de amigos ou familiares ou outras.

Será desafiante equilibrar as polaridades masculinas e femininas. Atenção que isto nada tem haver com o sexo da pessoa. Se por um lado a polaridade feminina estará intensa e reveladora, com necessidade de ser nutrida com o que é real e verdadeiro, essa parte nossa quer realmente poder ligar-se ao coração, às emoções, quer nutrir-se a si mesma como consciência de quem é. A polaridade masculina em nós quer assumir o comando, agir e criar novas formas de estar, quer assumir seu poder pessoal, a sua verdade.

A questão vai ser como equilibrar essas polaridades? Isto porque, com tamanha oscilação interior nas nossas polaridades, podemos ter um tendência muito grande para a reactividade descontrolada, à frustração, porque as emoções serão muitas e o processo exige a atenção plena de cada um de nós. Quando o exterior tentar invadir – seja os momentos de pausa da polaridade feminina, que precisa de silêncio e tempo para ser nutrida, ou da masculina, que deseja agir e criar –, quando os outros não derem esse espaço, processos abruptos podem ser desencadeados, caso não estejamos conscientes e com capacidade de fazer um julgamento consciente, levando-nos a confrontos com os demais.

Ao nível dos relacionamentos, este será um mês maravilhoso para observarmos a manipulação emocional, os comportamentos de controle, sejam ciúmes, ameaças, intimidação, julgamentos e outras tramas emocionais onde as matrizes de vingança, mentira e culpa operam pelo medo de sermos abandonados, rejeitados ou traídos e, pelo medo de tudo o que não desejamos que outro nos faça, nem nos apercebemos que o outro é um reflexo do que estamos a fazer a nós mesmos.

E a questão é: onde estás abandonar-te a ti ? Em que situações? Com que pessoas?
Porque trais teus valores? Porque trais teu coração? Porque trais a tua verdade? Porque não te aceitas como és? Porque te rejeitas ao ponto de atraires um amor pedinte e cheio de carências?

Será que consegues mesmo ver que as relações que tens na tua vida são um reflexo de ti? Da tua carência emocional? Que são reflexo de não nutrires o teu ser de forma responsável e consciente?

Eu sei. Ninguém te ensinou. Mas acredita, é possível, é mesmo possível amares-te. É mesmo possível seres a fonte nutridora de ti mesmo. É possível transformares tudo o que desejas. Precisas apenas de reconhecer o teu sofrimento, as tuas feridas emocionais e a sua origem, depois transformas, à medida que as coisas surgem, e crias novas oportunidades.

A sensibilidade será muita este mês. Como tal, é preciso salvaguardar-nos a nós mesmos, retirar-nos de ambientes e pessoas negativas e destrutivas. É preciso saber que cada um é apenas responsável por si e por aquilo a que dá sustentação.

Que oportunidade que este mês de Julho nos traz de transcendermos as nossas emoções de uma forma mais consciente, de termos a coragem e a força de vontade de reeducar as nossas emoções, as nossas crenças.

Será um desafio calar a mente para dar espaço ao coração de expressar o anseio da Alma, independentemente das condições externas em que estamos e nascemos, da forma como vivemos neste momento e de como a sociedade está. Que a vontade e a coragem de ser esse potencial seja maior do que os obstáculos ilusórios criados pela nossa mente primitiva.

Porque estamos mesmo, desde o principio do ano, a ser guiados a ligar-nos à mente intuitiva, a aprendermos como a mente primitiva – onde opera o eu inferior – opera e influencia a nossa vida, estamos a ser guiados a abrir o coração, neste momento, pela fragilização, mas como oportunidade de podermos expressar, em partilha e amor, o que é importante para nós. É para isso que estamos a ser guiados, para que, a partir do interior, possamos saber quem somos e expressar essa verdade com o mundo em autenticidade.

Venho desde o princípio do ano a mencionar o Raio Ruby associado a uma linguagem espiritual ligada aos Arcanjos. Na realidade, cada Raio Divino está associado a um Chakra como potencial. No caso concreto, este Raio Ruby tem como uma das virtudes a devoção. Assim, este mês iremos sentir necessidade de estar em devoção, não a qualquer entidade externa, mas, sim, ao ser que habita o nosso corpo, estar em devoção ao nosso coração, celebrando a nossa natureza humana. Esta é a mensagem dos Raios; quais as virtudes que devemos trabalhar e em que chakra operam no programa individual.

Quando a alma já tem alguma consciência de si mesma e do que a rodeia, esta devoção pode ter necessidade do silêncio, mas também da manifestação em partilha e na celebração do amor e de quem amamos.

Acima de tudo, seremos chamados a fazer um trabalho em que o coração será o foco de atenção. Seremos chamados a servir aquilo que é o nosso amor, aquilo que é a nossa paixão, aquilo que são nossos sonhos, aquilo que é nosso propósito. Aqueles que se permitirem confiar, com esperança e fé, serão recompensados.

Os desafios serão mais ou menos intensos face à necessidade de cada Ser em assumir a responsabilidade e o compromisso consigo mesmo sobre seu trabalho interior, sobre a consciência de si mesmo, das suas emoções, das suas necessidades que precisam de ser nutridas, daquilo que precisa transformar, do que é preciso agir em concordância com o coração. Vai ser preciso realmente muita força de vontade para irmos além daquilo que conhecemos como realidade. É preciso ir além das estruturas que criámos e conhecemos como reais. É preciso ir além das crenças. É preciso ir além dos hábitos. É preciso, por amor a si mesmo, fazer aquilo que nunca fez, mesmo que isso signifique ir contra as estruturas emocionais obsoletas que criou, ir contra a vontade dos outros, ir contra as crenças dos que o rodeiam.

É preciso ir para dentro e ter a coragem de seguir o coração. É preciso nutrir o seu ser. É preciso ter consciência do que realmente valoriza como a sua verdade, alinhada com a alma.

À semelhança dos meses anteriores, em que as aulas práticas pediram que estivessemos focados dentro de nós, vamos estar muito atentos e comprometidos com nosso caminho pessoal. Afinal, foi para isso que decidimos estar aqui neste momento da existência do planeta Terra. Iremos ter a oportunidade de conseguir observar e sentir como é que aquilo que nos rodeia vai tentar distrair-nos do nosso caminho; quem são as pessoas que o fazem; quais são as emoções que são despoletadas; quais as crenças que vão criar obstáculos.

Aqui, muita atenção, porque a tendência será reagir, julgar, acusar e culpar os outros por algo que é apenas da sua responsabilidade. As outras pessoas são apenas as escolhidas como forma de materializar as suas emoções internas ou a sua auto-sabotagem. Digamos que serão tão reais e intensas quanto a ilusão, a repressão das emoções e a consciência que tem de si mesmo e do que ocorre no seu interior.

Existirão dias em que, literalmente, sentirá que está a remar contra a maré, porque parece que é necessária uma força de Hércules para realmente conseguirmos assumir a coragem da nossa verdade. Realmente, é preciso coragem para querer mergulhar nas nossas emoções, até porque temos todos a crença de que é algo que não é seguro, que pode ser muito grave, entre outras que nos impedem logo à partida de o fazer, já para não falar no medo da mudança.

Realmente, é preciso coragem para seguir o coração. É preciso coragem para erguer a voz para expressar aquilo em que acreditamos. É preciso coragem para seguir nossos sonhos, e às vezes são precisas muitas tentativas até conseguirmos. É preciso coragem para seguir a nossa verdade. É preciso coragem para amar quem somos. É preciso coragem e foco para criar novas crenças, novos padrões, novas estruturas, relações saudáveis. É preciso, acima de tudo, muito amor próprio para criar uma vida que dê sustentação amorosa ao nosso Ser em cada momento.

Se cada um de nós estiver alinhado com seu coração e com Amor por si, fará esse caminho interior com a responsabilidade de conhecer as suas feridas emocionais, quem é, e qual a natureza desse eu inferior que apenas cria sofrimento e dor na sua vida. Quem tiver a coragem de sair das estruturas da mente primitiva, das estruturas ilusórias que criou no passado pode aqui alinhar-se com a sua verdade interior.

Eu sei que, olhando em nosso redor, isto pode parecer mais uma utopia new age, parece que a cada dia o caos vem instalar-se. Parece, mas não é. Afinal, se olharmos a história do planeta e da humanidade, infelizmente, foi só após grande caos e destruição que nasceram novas estruturas e novos valores foram implementados. E à medida que a cada ser desperta para a responsabilidade do seu processo individual, também a humanidade tem a possibilidade de renascer. Prova disso são as comunidades como Awaken Love, no Brasil, sob a direção de Sri Prem Baba; as comunidades geridas pela Amma na Índia; e tantas outras comunidades auto-sustentáveis que estão a surgir.

A necessidade de mudança está instalada. Quem persistir em resistir ao fluir com as necessidades individuais da sua alma e do planeta só está a atrair até si o caos, a destruição e desafios sem precedentes. Só o programa individual de cada um poderá definir a sua realidade.

Neste momento, temos a oportunidade de libertar-nos de blocos emocionais porque os mesmos estão a emergir para termos consciência do trabalho interior a ser feito. Os padrões de sofrimento serão mostrados de forma repetida e com um impacto tremendo para que possa perceber que já não é possível continuar igual.

As questões kármicas irão também emergir, não como um castigo divino, como foi dito pelas crenças antigas, mas como oportunidade consciente de tomarmos consciência do que temos vindo a criar na nossa realidade ao longo da linha de tempo, como oportunidade de, criativamente e alinhados com coração, podermos transformar as nossas emoções, pensamentos, palavras e acções.

Alguns sentirão níveis imensos de frustração e a revolta de estarem aprisionados nesta experiência de vida que escolheram, mas que não reconhecem como sua. Podem sentir-se sem esperança, sem forças. Podem sentir-se limitados pelas circunstâncias, podem continuar alimentar a ilusão de que não podem agir. Seja o que for que se apresente como realidade intensa é com o objectivo de olhar para dentro, não para encontrar os culpados do que está a viver, porque isso seria dar sustentação à ilusão, mas para encontrar dentro de si quais são as emoções que estão a criar a realidade que está a viver nesse momento, quais são as emoções que estão a emergir. Desta vez, nem tente (porque não vai conseguir) conter. Caso insista em fazê-lo, o corpo pode ser a forma que essas emoções irão encontrar para se expressarem.

Na realidade, as “batalhas” da nossa vida – seja com pessoas, com a saúde, com o dinheiro, com a profissão, com os filhos – são apenas, e só, o reflexo do conflito interior que tentamos a todo custo evitar sentir e observar. Olhe para este momento como a oportunidade de conciliar conscientemente essas partes de si e, em amor por si, criar uma nova realidade.

Este mês vai trazer verdadeiras crises de auto-estima, onde podemos observar onde a personalidade ou eu inferior gerou as suas máscaras, que podem ser de carácter auto-destrutivo, como vícios com droga, bebida, tabaco, compras sem ter dinheiro para o fazer, jogo, ou podem materializar-se através de uma doença de natureza autoimune, como forma de dar espaço às emoções e às crenças autodestrutivas de se materializarem através do corpo.

Mas podem também ser de natureza manipulativa, dominadora, como uma vingança que necessita de ser levada a cabo contra outrém, esquecendo-se de que isso é-lhe sempre retribuído, ou de diversos outros cenários, que podem ser materializados como forma de quebrar esse vício de sofrimento interior.

Como já tinha referido, este é um mês propício à destruição de bens (aparelhos domésticos, carros), a roubos, à destruição de pessoas e a desastres naturais. Poderemos ver que o mar terá alterações que não são comuns nesta altura do ano. Afinal, o elemento que rege as emoções é a água e, estando as emoções ao rubro, os nossos oceanos e rios serão um reflexo disso. Neste exacto momento em que vos escrevo o artigo, começou a chover.

Aconselho-vos a ler os artigos sobre a “Matriz da culpa”, sobre a “Raiva e a sua criatividade”, sobre o “Julgamento”, sobre o “Programa individual da Kundalini”, sobre o “Potencial da fragilização” e o “Reconhecimento do sofrimento”. Todos eles irão ajudar-vos muito sobre o que estarão a sentir este mês. Há ainda, para quem deseje aprofundar, o artigo sobre as “Matrizes do eu inferior e as feridas emocionais”.

Dado que emoções como a raiva, a culpa, a revolta e outras irão emergir, a intensidade primitiva de sobrevivência também. Por isso, aqueles que estiverem envolvidos em controlo e manipulação dentro de si irão ver a sua competitividade ser activada com quem os rodeia, irão reunir esforços para alcançar a vitória não olhando aos seus impulsos primitivos, agressivos e dominantes. Ora, como a Alma já não vai dar sustentação a isso, a não ser pela destruição dessas estruturas, pedindo transformação, caso não tenha consciência, pode, sob esta influência, destruir uma estrutura cujo potencial estava realmente alinhado com seu coração.

Estão favorecidas as actividades com a meditação, yoga e actividade física porque o corpo realmente precisa de ter espaço para deixar fluir a energia intensa, bem como actividades criativas que podem envolver artes, projectos, negócios. Aconselho a que não desmoralize à primeira, porque o impacto desta energia nos outros pode fazer com que estejam fechados na sua verdade, não conseguindo ver o campo de oportunidade criativo que deseja mostrar-lhes.

Que mês este de energias tão elevadas e outras tão primitivas, mas, senhores, este é o palco da nossa realidade humana, em que cada um vai activar a resposta da sua Alma, que para uns será uma luta, para outros será um levantar vôo. Aos que levantam vôo, saibam que estão a fazer por si, mas dêem coragem a que também outros o possam fazer por si mesmos. Aos que estarão na luta, está aqui a oportunidade de não activarem a matriz da inveja e, em vez de julgarem quem está a levantar vôo como tendo mais sorte do que vocês e outras coisas, olhem para eles como o campo de oportunidade que está disponível para vocês, assim tenham a coragem de olhar para dentro e se libertarem do que vos prende, das carências e das matrizes negativas que, essas sim, vos impedem de voar.

A energia sexual, que irei explicar num artigo mais detalhado, estará ao rubro numa matriz primitiva. Ela é carente, manipuladora, controladora e repressora, pelo que este aumento de energia sexual em excesso só pode gerar desequilíbrios, destruição e muito sofrimento. É bom estarem atentos aos predadores .

Tendo esta energia de Julho uma matriz de fogo muito forte, para quem não tem consciência de si mesmo, da sua energia e emoções, bem como das formas de transformar criativamente essa energia, ela pode ter consequências prejudiciais quando acumulada no corpo, porque podemos projectá-la sem consciência e de forma muito rápida. As crianças, por exemplo, fazem-no em determinadas idades. Aqui, pela inconsciência, poderemos atrair acidentes, agressões, despoletar crises de raiva e de violência.

A oportunidade é de sermos pacientes, porque a impaciência será mais do que muita. A irritação e as frustrações estarão ao rubro. Aplique essa energia de forma criativa com uma caminhada na natureza, a arrumar uma garagem, um armário, a fazer exercício físico.

Este mês não é preciso muito para o irritar, porque as emoções estão ao rubro. Assim, coisas que habitualmente teria a capacidade de ignorar, para não se chatear ou ter de agir, este mês não conseguirá contornar. A raiva e a tendência para agir sem pensar aumentam o risco de inúmeras coisas acontecerem. Mesmo que esteja sozinho e consiga isolar-se, é preciso dar espaço às emoções.

Cuidado para não descarregar as suas emoções junto das pessoas que ama e mais próximas porque, caso não tenha o cuidado de agir com consciência, eles serão o alvo das suas frustrações, dos seus devaneios, dos seus desequilíbrios internos, das suas discussões, dos seus impulsos primitivos e agressivos. E depois as consequências serão imediatas. Para evitar hostilidades, canalize a sua energia para actividades, para estar consigo a observar que emoções são essas que estão emergir. Evite hostilidades sejam que tipo forem, senão a sua raiva interior vai gerar o caos e a destruição.

Até aqueles que são considerados submissos e tímidos não vão conseguir calar os seus impulsos de reagir ao que está a acontecer-lhes, porque a necessidade de sair dessa destruição, manipulação e/ou controlar vai fazê-los reagir.

No meio de tudo isto existe aqui um campo de oportunidade maravilhoso de podermos expressar-nos em amor e de resolver as questões não pelo confronto, mas pela amorosidade connosco e com os outros. Existe aqui a oportunidade de termos compaixão e empatia pelas feridas emocionais do outro e em contribuir. Existe aqui a oportunidade de harmonia interior e exterior, de partilhas profundas e autênticas. Existe aqui o potencial de cada um expressar as suas habilidades sociais em prol do colectivo. Existe aqui o potencial do compromisso interior ser o de buscar soluções criativas e amorosas pela via pacífica.

Senhores, que potencial de equilíbrio! Se por um lado será difícil conter a energia e as emoções, pelo outro existe a oportunidade de tomarmos consciência e transformarmos tudo.

Aqui reside a oportunidade de tomar consciência do seu temperamento e se ele é de rastilho curto e destrutivo ou, pelo contrário, se já tem algum nível consciente de si mesmo e encontra formas pacíficas e construtivas de transformar.

Pode ser um desafio não responder e argumentar às provocações, às ameaças, aos ultimatos que estarão prontos a disparar para inflamar as emoções. A probabilidade de existirem conflitos nos relacionamentos é de 1000%, nomeadamente em relacionamentos em que o poder e o controle são reais. Quem tiver a capacidade de ir mais longe irá pelo menos tentar perceber porque criou essa realidade para si mesmo, seja na busca interior ou com ajuda externa.

Meus Queridos, será um mês que vai valer por anos, tal será a intensidade. Muito mais poderia escrever e dissecar desta energia, mas o artigo já vai longo, assim como a noite que já quer amanhecer. Deixo o resto para sentirem e vivenciarem.

Realmente, é preciso olhar para dentro e conhecer quem somos, com consciência. Que feridas emocionais são essas que transportamos e que geram tanto sofrimento nas nossas vidas. Que matrizes do eu inferior são essas a que damos vida para nos defendermos das emoções e que na realidade geram mais caos e destruição emocional na nossa saúde, nos nossos relacionamentos, nas finanças e na vida em geral.

A mim, resta-me agradecer a todos os que lêem estes artigos, a todos os que vêm dando o seu testemunho de como estes artigos contribuem nos seus processos individuais. Sou grata ao Universo pela sua bondade comigo em trazer-me em cada momento as pessoas necessárias a cada projecto e etapa da minha vida profissional e pessoal.

A Teresa Carvalho é uma dessas pessoas que, com toda a generosidade, se ofereceu no outro dia para corrigir um artigo e, desde então, tem corrigido todos. Dá o seu tempo para corrigir os artigos de forma a que todos os possam ler de forma mais correcta. E isto, meus amigos, é partilha genuína da nova era de Aquário, em que cada um dá o melhor de si e em prol do coletivo. Sou muita grata a cada pessoa que tem surgido, tal como a Teresa, nesta energia sustentadora em que sabe que está realmente a contribuir para um todo.

À minha família, o meu núcleo amoroso e sustentador, o meu amor e gratidão, porque é graças ao respeito, dedicação, amor e partilha que me dedicam em cada dia que é possível dedicar-me à minha profissão com esta intensidade.

Desejo de coração que consigam perceber que têm dentro de vós ambos os potenciais e polaridades, e que tem dentro de vós a coragem e a capacidade de transformarem tudo o que for surgindo de uma nova forma. Desejo que possam, em amor por vós, ter a coragem de serem livres, de viverem a vossa verdade do coração, e que saibam que, sim, é possível viver em amor próprio e ao mesmo tempo viver em partilha amorosa com outras pessoas, que é possível realizarem vossos sonhos, e que o Céu é o limite, ou não. Como diz a minha Coach: «Chuta para a Lua! Mesmo que erres, aterras nas estrelas».

Abraço-Vos, com Amor

Ana Tavares

Fonte da imagem: https://wall.alphacoders.com/big.php?i=108490

Se gostou deste artigo partilhe com os seus amigos

Veja também