Análise

Energia de Outubro

Energia de Outubro

Se acham que o mês de Setembro foi muito intenso preparem-se Outubro não será mais leve até porque a Lua Cheia que abre a energia deste mês por si só já é carregada de uma energia de fogo com ar, quer isto dizer que quem ainda não aprendeu a controlar a sua mente e direccionar o seu fogo interior vai sentir explosões sejam elas mentais, emocionais ou mesmo verbais.

Este mês é uma boa oportunidade para avaliarmos o quanto realmente o nosso trabalho interior está em terra firme ou ilusório, em que as verdades vão apresentar-se de forma inequívoca sejam no interior ou no exterior.

Este fogo interior que nuns quer despertar e noutros quer ir mais além senão for feito com alguma consciência de si mesma/o ou do seu processo interior e da sua própria sombra vai inflamar e muito as emoções, que por sua vez vai dar origem as possíveis reações que daí veem.

Meu conselho é respire fundo, pergunte-se a si se a sua mente esta a reagir em defesa ou ataque, em que momentos e situações como esta já se repetiram no passado, quais foram as suas atitudes e reações no passado, e depois sim já com essa consciência que adquiriram com a observação e algum silêncio interior estarão prontos a agir mais alinhados com o momento, bem sei que isto seria o ideal e que nem sempre será possível, as vezes vamos precisar reagir a quente ou a frio, vamos precisar extravasar aquilo que ficou contido por demasiado tempo e agir .

Todas estas experiências, sim porque a teoria acabou, todas as experiências que iremos vivenciar ao longo deste mês, irão permitir observar algo muito importante em nós, a voz da censura interior, a voz interior da sombra que condiciona, que cria medos, que nos torna fracos, loucos e emocionais, a voz a que chamo primitiva que é a mesma que por memória das experiências do passado que carrega consigo, recusa-se permanentemente a viver a experiência real… e é aqui que perdemos energia, poder e que enfraquecemos o corpo físico, a mente, e as demais áreas.

O que é te recusas a viver ?
Quais as experiências que vives uma e outra vez porque te recusas a aceitar a experiência ?

Tempo criar raizes interiores connosco, com núcleo que pertencemos ou tempo de recriar o nosso núcleo de forma que esteja mais alinhado com as nossas necessidades e as do grupo.

Li esta texto de Thich Nhat Hahn e acho muito adequado a este mês e partilho com vocês :

 

“Fugimos de nós mesmos porque não queremos estar connosco. Nossa dor é um tipo de energia desagradável. Tememos que, se largarmos nossas diversões e nos voltarmos para nós mesmos, vamos ser esmagados pelo sofrimento, desespero, raiva e solidão interna. Por isso continuamos a fugir. Mas se não tivermos o tempo e a vontade de cuidar de nós mesmos, como poderemos oferecer algum cuidado genuíno às pessoas que amamos?
Por isso, a primeira prática é parar de correr, ir para a casa do nosso corpo e admitir nosso sofrimento.”

Do que tens fugido ?
O que habita dentro de ti que tens tanto medo de observar e sentir ?
Que dor é essa tão profunda que estás sempre a tapar para não sentir ?

Somos esmagados pelas experiências que recusamos, pelas emoções que julgamos erradas, pela culpa, pelo medo, pela raiva que suprimimos, pela solidão interna de não querermos aprender a relacionar-nos connosco.

Tu nasces e morres na companhia da mesma pessoa _ TU _ não achas que está na altura mergulhares fundo dentro de ti ? De te amares ? De conheceres o teu potencial ? De dares valor a ti mesma/o ? De seres principal cuidador de ti ? De te respeitares ? De cuidares de ti ? De te salvaguardares de pessoas e situações que não valorizam ter ser ? Não achas que é de ti que tens mesmo que cuidar antes que a doença chegue, a relação termine ou trabalho te deixe no desemprego e tu fiques a deriva porque não sabes quem és ?

Se quando nasces és um ser de amor sem medos, já te perguntaste onde aprendeste esses medos todos ? Com quem ? Afinal isso é teu ou da tua ancestralidade ? Dos teus amigos de infância ? O que afinal toldou a tua criança ?

A criança quando nasce faz as coisas, ela não espera aprovação, ele segue seus instintos e com ele vai conhecendo o seu mundo que pode ser mais amoroso, livre ou assustador e condicionado depende dos progenitores dela, de quem a cria e as limitações que lhe impõem, ora afinal quem és tu ?

As tuas reacções são tuas ou aprendeste com alguém ?
Teus medos são teus mesmo ou adquiriste de alguém ?

Uma das coisas mais maravilhosas que aprendi a muitos anos foi questionar a minha mente, mesmo quando ela me oferece ideias criativas, para que a coisa flua é preciso sentir, e muitas vezes questionando a mente aumentamos a percepção sensorial, emocional e outras, claro que estar em meditação é o fermento a tudo o resto.

Na realidade o treino dos últimos meses e dos que seguiram trazem com eles uma proposta quanto a mim maravilhosa, mas que pode ser muito assustador afinal esquecemo-nos de ser crianças, é que a energia convida a honestidade, a espontaneidade, a sermos genuínos acima de tudo connosco e com tudo que diga respeito a nós, isto as vezes é realmente assustador porque a autenticidade tem sido de uma forma ou de outra rejeitada por nós e os demais.

A honestidade é acima de tudo connosco, olhar para nosso interior, eu também posso e devo ser honesto com os demais, mas isso não significa que aquilo que sinto como honestidade o outro também o sinta, e também não significa que agora saímos por aí a dizer tudo que nos apetece só para sermos honestos ou genuínos porque os outros também tem o seu processo interior, tem seu tempo e a todos devemos respeito, concordemos ou não com seu processo, atitudes.

Agora se o outro interfere com nosso processo, aí podemos ser honestos mas cuidadores, transmitindo ao outro as nossas reais necessidades sem precisar de magoar, sem precisar de competir pela verdade, sem precisar de dramas, porque meus queridos e queridas todos nós estamos fartos de dramas, as nossas crianças interior estão em chaga de tanta ferida emocional, aquilo que todos nós precisamos é de amorosidade mesmo que seja para dar um chega para lá.

Sim porque este mês é sobre individualidade mas nas relações, então cuidae de ti ? E dos cuidas dos outros ? Como te relacionas com eles ?
E como se relacionam contigo ?

As pessoas que te rodeiam refletem quem tu és ? Ou refletem uma imagem criada de ti ? O que na tua vida é real ?

Mas o que é errado e certo na realidade ?
Porque aquilo que é real para mim pode ser errado para o outro, então como aprendemos a conviver com as diferenças ?
Quando aprendemos que são essas diferenças que nos tornam únicos e todos complementares e não diferentes e maus ?

Será que estás realmente disposto/a a viver a tua verdade ?
Será que estás disposto /a a pagar o preço de viveres essa verdade ?

Quem será que anda a dourar a verdade tu ou outros ? Ou tu e os outros ?

Já perceberam pelo texto que será um mês de muita controversas, confusões, competições, e ambiguidades, pois é …mas pode escolher em qualquer momento sair delas, basta parares a tua mente, conheceres a tua sombra, onde estão as tuas feridas emocionais, de perceberes como criaste defesas, ataques, verdades, mentiras e divisões interiores e exteriores e estarás no caminho da autenticidade contigo pelo menos, afinal tu és a pessoa mais importante e depois, tal como um bebe aprendes a ser com outro, no entanto tenta lembrar-te que na medida que és compassivo com outros e amoroso, também a vida e os outros o são contigo, afinal recebes aquilo que dás de ti em autenticidade .

Na verdade, a verdade que procuras na realidade habita dentro de ti, ela expressa-se pelo coração, é esse realinhar que a alma procura, que cria os vazios, as dores, as solidões e afins, tempo de purificar, transformar e iluminar dentro e ao teu redor.

Embora eu saiba que a competição que nos vai na memória celular está ao rubro entre todos e os demais, este é o tempo de transformar essa competição primitiva pela cooperação, porque é tempo de realinhar e não de fazer mais do mesmo, é pela forma compassiva e cooperativa connosco, com todos os que nos rodeiam que realmente a transformação ocorre, as mudanças ocorrem e tudo parece diferente.

Será um mês de muita necessidade de respirar fundo para não agir de forma primitiva, embora as vezes para alguns nem as respirações lhe valha, mas puderam engoliram, engoliram e agora sai o pipo e tampa da panela e com palavras e ações vão varrer tudo e todos os que atravessarem no caminho, e para alguns também isto estará certo, afinal o plano é o maior e não do umbigo de cada um.

As dores e as feridas estão em chaga, não fomos cuidadores nutridores de nós mesmos, então algumas virão mesmo a superficie com este ciclo lunar da Lua Cheia e da Lua Nova seguinte.

A Terra e os acontecimentos seja na natureza, em pontos estratégicos do planeta e em algumas comunidades vão continuar a mostrar-nos o estado de sofrimento e dor que fomos implementando no planeta e em nós ao longo destas eras todas .

Eu tenho a minha opinião, tu terás a tua, e outros as deles…mas quando somos fechados e cegos fechados na nossa verdade aí geramos divisão, tornamo-nos não autênticos mas fechados, não seremos justos …é aqui que começam as guerras, a divisão, a separação.

Pois é tempo de olhar para dentro, tempo de olhar a história do planeta e da humanidade, onde as matrizes da raiva e vingança nos trouxeram a realidade que temos hoje nas nossas vidas individuais e colectiva, onde a expressão masculina da sombra como agressão, raiva, violência e a reatividade nos estão a levar.

Agora se cada um está disposto a fazer a sua parte individual, de olhar seu interior e de em prol da humanidade de o planeta abrir o seu coração à colaboração, a conexão e à cooperação isso é realmente a transformação a que estamos a ser convidados a fazer num novo ciclo de libertação e evolução.

Será que conseguimos ser cordiais e respeitosos uns com outros ?
Será que já conseguimos discordar do outro mas respeitar a sua opinião e escolhas ?

Desde do tempo da Atlântida e da Lemúria que somos movidos por uma mente primitiva de raiva que não é transformada conscientemente, essa raiva interior que é constantemente projetada nos outros, gerando separação, competição, desilusão, em que os espelhos não são observados como espelhos e reflexos de quem somos mas como sal na nossa ferida interior que para defender-se ataca ou foge de si mesma.

Se calhar já é tempo de pararmos e refletirmos, ou será que estamos a espera de a vida nos pare, que a doença chegue, que a separação se dê, que o emprego fuja, para nos obrigar a parar e olhar no interior que à algo que precisa de atenção imediata… o eu interior, a criança interior em chaga e ferida com tanta falta de auto cuidado e tanta falta de amor.

Também seremos confrontados com as ilusões onde andamos a praticar, ou que nos enfiaram pelos olhos a dentro como verdade, a espiritualidade real ou ilusória que andamos a praticar, senhores daqui até ao fim do ano será um limpeza daquelas, segurem-se bem porque será uma viagem mais que alucinante.

Que a assertividade e amorosidade caminhem juntas, que o nosso crescimento não seja a custa de ninguém, mas sim em equilíbrio interior, objetivo é equilibrar os extremos e não criar mais fossos sejam eles emocionais ou relacionais.

Trabalha com todas as tuas partes, abre o coração e trabalha com os que te rodeiam com compaixão as feridas são profundas em todos .

Que cada um olhe a sua crise e a crise mundial como oportunidade a fazer diferente, ao crescimento e evolução para um novo equilíbrio, tempo de criar novas formas de ser e estar.

Reestruturação emocional, reestruturação na forma como relacionamos connosco e os outros, é preciso transformar, purificar essa raiva que mina todos os relacionamentos que geram competição, discordâncias e dissonâncias entre os diferentes que são iguais, que impere o respeito, amor e a compaixão.

Que cada um possa liberta-se desses padrões de verdade que só tem sido baseados na raiva, vingança, nas distorção para que a verdade seja baseada no coração, no amor, no respeito pelo outro e a diferença e tudo que existe, pela compaixão de tudo e todos.

É preciso coragem para ouvir o que outros tem a dizer, é preciso mesmo muita coragem para ouvir e sentir onde isso magoa, ressoa, faz eco e provoca, onde emerge a raiva, a divisão, a separação, violência, o julgamento, a luta pela verdade.

A inquietação, ansiedade, o pânico e o stress irão atingir níveis assustadores em forma de representar a criança aflita em ferida dentro de cada um de nós.

Adiantando a coisa até ao final do ano as relações , parcerias e casamentos vão ser postas em causa, afinal as emoções estão a ser trabalhadas para a reestruturação e valores mais alinhados com alma.

Já era tempo de percebermos que a projeção sobre o outro das nossas feridas tem criados fossos emocionais profundos, tem posto sal nas feridas emocionais e a criança interior essa cada vez foi ficando mais perdida dentro de si.

Oportunidade de ver através dos outros como carrega a sombra dentro de si, não gostou das atitudes dos outros, das suas palavras e ações…pare e observe como é que no seu dialogo interior consigo e/ou com outros isso se reflete pode estar aqui uma grande chave a sua transformação, observe onde também você esta fechado na sua verdade, no seu julgamento, na sua raiva …nas suas feridas.

Deixe de ser a vitima que se queixa que outros meninos são maus, que outros fizeram mal, deixe de censurar outros e a sua experiência porque se aconteceu está aí para ensinar alguma parte de si que continua a negar, portanto é melhor olhar o touro de frente e agarrá-lo bem pelos cornos e enfrentar o fantasma que lhe quer tirar a paz interior, que possamos ver a vida como se apresenta e não como a ficção diária que criamos na mente primitiva.

A quem me lê a minha gratidão, peço Vos muita paciência com vocês e os demais, muita compaixão, será mostradas feridas profundas de formas inesperadas, olhe o seu processo com amor e olhe o processo de quem vos rodeia com compaixão, todos temos feridas profundas que geram muita confusão. Que amorosidade, a compaixão e o respeito deixem de ser frases feitas e clichés para serem ações transformadoras reais.

Com Amor

Ana Tavares

Se gostou deste artigo partilhe com os seus amigos

Veja também