Artigos

FITOTERAPIA CHLORELLA

FITOTERAPIA CHLORELLA

A Chlorella (alga unicelular) é um poderoso desintoxicante de todo organismo que literalmente se liga às toxinas como uma esponja para limpar o trato digestivo.

Ela promove a desintoxicação orgânica, inclusive de metais pesados como chumbo e cádmio.

Em experiências laboratoriais, foi descoberto que a parede celular da chlorella tem excecional capacidade de se unir às toxinas e carregá-las para fora do organismo.

A chlorella tem sido usada para remover do organismo inseticidas e pesticidas tóxicos, além de ter a capacidade de remover cádmio, chumbo e também outros metais pesados.

As microfibras, presentes nas proteínas da chlorella, formam uma rede muito fina que captura os metais pesados depositados continuamente nos tecidos adiposos dos nossos órgãos.

As fibras dietéticas oriundas da parede celular dessas algas, não sendo digeridas, formam resíduos que aumentam o volume das fezes e estimulam os movimentos intestinais, diminuindo o tempo de trânsito do bolo fecal ao longo do tubo digestivo e consequentemente, propiciando a regulação do hábito intestinal.

Outra propriedade dessas fibras dietéticas é a capacidade de absorver substâncias nocivas, como metais pesados e várias toxinas presentes nos alimentos e nos intestinos, sintetizadas pelas bactérias

intestinais. Impedindo a acumulação de substâncias nocivas e diminuindo o tempo de contato das mesmas com as paredes intestinais, desta forma diminui a absorção e o risco do surgimento do Cancro Intestinal.

Toxinas como os metais pesados e os pesticidas muitas vezes sobrecarregam o fígado. Muitas pesquisas demonstram que a chlorella liga-se aos metais pesados, como o cádmio e o chumbo e mesmo metais radioativos como o urânio, e transporta-os eficazmente para fora do corpo. A chlorella parece ter a capacidade de eliminar componentes tóxicos como pesticidas e os químicos presentes nos alimentos que nos chegam ao prato diariamente (mesmo sem suspeitarmos disso…), sem qualquer dano para o nosso corpo.

Com a normalização do hábito intestinal, juntamente com o aumento de excreção de gorduras, há uma diminuição dos níveis de colesterol sanguíneo, contribuindo na prevenção de distúrbios circulatórios ou doenças degenerativas dos vasos sanguíneos.

Estes processos atuando em conjunto, também contribuem para a depuração dos líquidos orgânicos,

favorecendo a manutenção do pH e amenizando as consequências dos estados de acidificação do sangue.

Remove substâncias tóxicas do organismo como pesticidas pesados, cádmio, chumbo, mercúrio e urânio. Estudos de diversas universidades dos EUA e Japão constataram que a chlorella une-se ao corpo

estranho e força sua saída do organismo.

Como relata a Dra. Susan Jones/PhD U.C.L.A., EUAA: “A principal razão de meu entusiasmo pela Chlorella é seu benefício de construir a saúde e a eliminação de toxinas do organismo sem efeitos colaterais indesejáveis”.

Como uma das maiores fontes naturais de betacaroteno que existem (100 mg de betacaroteno em cada 100g), a chlorella atua no fortalecimento do sistema imunológico e protege a pele contra a ação da radiação solar, além de ter o poder de reduzir os efeitos do envelhecimento precoce e agir na pele, em função da sua capacidade de lutar contra os radicais-livres no corpo. “A chlorella auxilia muito na desintoxicação do organismo. Por ser rica em compostos antioxidantes, combate a ação dos radicais-livres e ajuda a eliminar substâncias tóxicas. Além do betacaroteno, também é rica em clorofila que sequestra várias toxinas para eliminação e oxigena bastante as células. Por último, a chlorella também contém o germaio, que se apodera de metais pesados para serem eliminados”, garante a nutricionista clínica e fitoterapeuta, Vanderli Marchiori.

Conforme pesquisas científicas realizadas na Universidade de São Paulo (USP) a Chlorella tomada adequadamente por um mês é capaz de remover até partículas radioativas, por exemplo, comum em tratamentos com radioterapia ou para pessoas que vivem expostas a radiação.

Naturopata/ Terapeuta Holístico Norberto Ribeiro
www.novasterapias.com
www.apthi.pt

 

Se gostou deste artigo partilhe com os seus amigos