Análise

Lua Nova em Leão – 23 de Julho de 2017

Lua Nova
23 de julho de 2017 | 00º44’ Leão

Frequentemente lemos ou ouvimos, que viver a energia de Leão (e através do Sol, seu regente) significa sermos, por exemplo, autênticos. E de um modo geral, a forma como a maioria de nós experiencia este sentido de autenticidade, passa pela exacerbação daquelas características da personalidade que nos fazem sentir especiais, importantes e que procuramos proteger porque é isso que nos define. Muitas delas, algumas negativas no impacto que têm sobre a nossa vida, são motivo de extremo orgulho. E enquanto nos identificamos com estes traços de personalidade, muitos deles estruturados em profundas carências mal resolvidas, projectamos o nosso pequeno “rei na barriga” sobre o mundo e sobre os outros, lançamos o melhor de nós mas também as nossas “fúrias” partindo do principio que, assim sim, estamos a ser autênticos. Nessa ilusão, a da personalidade, vivemos um autêntico egocentrismo, a fazer das “tripas” (lua — 2° chakra) o lugar do “Coração” (representado pelo Sol, regente do signo de Leão).

Do ponto de vista do desenvolvimento da Consciência, enquadrado na dimensão espiritual do Homem, procurar Ser verdadeiramente Autêntico, pressupõe vencer algumas dessas pequenas batalhas pessoais e por isso dispensa a necessidade de um excesso de afirmação pessoal. Sem máscaras e artifícios para consigo mesmo, livre de orgulho, de ferida narcísica, “síndromes de rei”, assim, simplesmente, Autênticos. E isto de se Ser Autêntico requer Lealdade, Honestidade, Reconhecimento, todas estas qualidades frequentemente atribuídas ao signo de Leão. O que me parece por vezes ser difícil compreender na interpretação deste signo é que todas estas qualidades referem-se essencialmente a este processo individual, pessoal e intransmissível de nos descobrirmos por completo, e não simplesmente atributos de personalidade que os outros podem apreciar. Compreender a energia de Leão, pressupõe igualmente integrar o principio da Lealdade para desenvolvermos o nosso próprio trabalho de aperfeiçoamento (o signo seguinte – Virgem), sem rejeitar mas antes Reconhecendo com Honestidade onde ainda somos frágeis e vulneráveis (o signo anterior, Caranguejo) para abraçar tudo o que em nós existe e desta forma Criar algo mais Autêntico. Sentir onde “quebrámos a ligação” para que possamos resgatar a nossa Identidade (ler artigo acerca da Lua Nova em Caranguejo do dia 24 de Junho de 2017). A Autenticidade que procuramos em Leão vem da Identificação com a presença espiritual que existe (em grande parte) adormecida em nós. Essa Lealdade e Honestidade são fundamentais para que não desistamos das lutas que temos que travar ao longo dos desafios e experiências da nossa vida. O processo de sabermos quem Somos é uma jornada Heróica, que requer muito da nossa Vontade e capacidade de Liderança. E é, quando essa Autenticidade é real, que existe em nós um brilho natural que tudo ilumina. Esse Brilho é o da Luz da Consciência que representa, no fundo, Amor. Ao lançarmos Luz sobre o nosso lado lunar (o processo desenvolvido no signo anterior), a todas as partes que ainda necessitam do nosso cuidado, estamos a desenvolver Consciência. Sabemos que, para sabermos quem Somos, precisamos dessa Honestidade e desse Amor porque ao longo do processo de nos auto-descobrirmos iremos com certeza ver em nós aspectos dos quais não temos assim tanto orgulho. Com esta Vontade de ir além dos padrões e instintos estamos a Criar novas formas de Ser. Que lugar extraordinário o mundo seria (para além do que já é, claro) se cada um de nós fosse Leal e Honesto neste processo. Estaríamos na presença da verdadeira sociedade Aquariana, representada pelo signo oposto e complementar a Leão – Aquário – que representa o Servidor do Mundo.

Podemos aproveitar esta Lua Nova em Leão para despertar a semente que vai liderar cada um de nós para este processo de Reconhecimento. Onde precisamos de ser Honestos e Leais, onde precisamos de trazer e fazer Luz para que nos possamos ver e Ser por inteiro. O que requer a nossa força e Poder pessoal para que possamos assumir a Liderança que sentimos faltar, para recuperar ou fortalecer a nossa Alegria de Viver. Recordo que podemos e devemos ampliar as nossas intenções para a esfera colectiva. Podemos desejar que a Humanidade desperte para esta energia Criativa e consiga ver como continua a repetir a história dos seus antepassados. Infelizmente, ainda continuamos a resolver grande parte dos problemas da mesma maneira, como há séculos, seguindo lideres autoritários e narcísicos, que reflectem senão a nossa covardia individual em Sermos por inteiro. Temos Poder para viver de forma diferente! É preciso a Vontade para que isso aconteça e a Honestidade para vermos onde continuamos a errar… Porque me identifico com estes pensamentos, crenças, opiniões, sentimentos, desejos, vontades, inseguranças, ambições, ….????….???? O que me define? Quem Sou Eu? Quem somos nós? Façam a vocês mesmos as perguntas certas para o vosso próprio processo de se auto-descobrirem e permitam-se o Silêncio para deixar as respostas surgirem. E tenham Honestidade nesse Reconhecimento.

Este e o anterior ciclo de lunação são fortes e intensos. A lua Cheia em Capricórnio (referente ao ciclo de caranguejo) fez conjunção a Plutão no dia 9 de julho e a Lua Nova em Leão que acontece no dia 23 de julho faz conjunção a Marte. Esta é uma relação importante uma vez que o Sol encontra a sua exaltação em Carneiro, signo regido por Marte. Esta afinidade entre os dois planetas promove a Coragem para nos assumirmos por completo, para iniciar um novo caminho de auto-descoberta e desenvolvimento pessoal. Pela negativa esta energia pode intensificar a afirmação pessoal excessiva e egocêntrica que pretende apenas servir o seu desejo e ambição pessoal (o 3º chakra em hiper funcionamento sem a abertura do chakra do coração). Uma vez que o signo de Leão está associado a Liderança, esta é uma energia particularmente ressonante com os líderes de todo o mundo. Foquemos por isso a nossa energia nas intenções para este novo ciclo de lunação de forma a desejar que a Luz desça à Terra.

«Até onde conseguimos discernir, o único propósito da existência humana é acender uma Luz na escuridão da mera existência.» (Carl Gustav Jung)

*

© Ana Paula Pestana, All Rights Reserved

Se gostou deste artigo partilhe com os seus amigos

Veja também