Entende que nunca poderás fugir de ti mesmo

 

Muitos dos distúrbios, angústias, tristezas, desconfortos, desespero, desesperanças e gritos de socorro somatizados ao nível físico, resultam deste conflito entre aquele que nós somos e aquele que os outros, o outro, a sociedade, o exterior a nós, quer, impõe, impele, a sermos.

Saberes quem és, aceitares-te como és e definires o teu caminho, a forma como o vais percorrendo, as tuas metas, em sintonia contigo mesmo, com o teu EU, com a tua essência, é imprescindível para o equilíbrio mental e físico, e é o grande apelo da tua alma. Mais que isso ainda , é o teu grande desafio pois requer coragem, honestidade e auto- conhecimento. Requer toda uma desconstrução de conceitos, ideais e princípios que sempre tomaste como teus e como inabaláveis…mas que quando expostos à luz da tua consciência revelam- se quase que como pilares de todo o teu sofrimento e conflito interno.

Há que ter coragem de dizer -basta!

Há que ter coragem para despirmos tudo o que nos vestiram ao longo da nossa infância, juventude e idade adulta, e abrirmos o nosso armário interno para escolhermos as roupas que melhor nos servem hoje, que são quem somos e quem queremos ser.

Seguiste a moda até agora e o resultado não te agrada, nem conforta, nem nutre…então permite- te assumires o teu estilo único e inconfundível.

Quanto mais protelares os passos que te levam de regresso a ti mesmo depois de anos – quantas vezes quase uma vida – a tentares ser o que te ensinaram a ser, a mutilares- te para encaixares nuns quaisquer parâmetros de uma normalidade anti- natural, mais o espírito enfraquecerá e mais o teu corpo gritará o sofrimento e revolta da tua alma.

Entende que nunca poderás fugir de ti mesmo, mais cedo ou mais tarde o abraço acontece…és tu que escolhes se esse abraço é de amor ou de dor.

Escolhe- te a ti, sempre. Quando te escolhes a ti mesmo, as portas que vias fechadas abrem- se não como que por magia, mas sim em consonância com a tua vibração e acção concreta, o teu movimento em direcção a ti e À tua vida, a tua tomada de posse de ti mesmo…e tu começas então a ressoar a tua essência, a seres tudo o que nasceste para ser, tudo o que queres ser, e finalmente começas a verdadeiramente viver!

Cristina Fernandes

Deixe o seu comentário

Cristina Fernandes
cristinafernandes@luanova.pt

Hipnoterapeuta, terapeuta transpessoal, formadora e palestrante, com formação superior em Comunicação e pós-graduação em Psicologia Cognitivo-Comportamental e Hipnoterapia, curso de Psicologia Junguiana pelo Núcleo Português de Estudos Junguianos.



#Segue-nos no Instagram