Artigos, Nutrição, Saúde e Bem-estar

O que é a Nutrição Racional?

NUTRIÇÃO RACIONAL

Nutrição Racional é comer e beber equilibradamente, alimentos produzidos, se possível, de acordo com os princípios da Agricultura Biológica, isto é, sem produtos químicos, adubos, pesticidas ou aditivos.
Prepará-los de maneira simples e saborosa, destruindo o menos possível os seus princípios activos, vitaminas, minerais, oligoelementos etc.

Os alimentos são de importância fundamental para a vida, porque são eles que fornecem as calorias, e todas as substâncias necessárias à nutrição e à renovação das células.

É necessário consumirmos diariamente a quantidade de alimentos que corresponda ao nosso gasto energético. Deveríamos ingerir todos os dias a quantidade e a qualidade dos alimentos de um modo racional e individualizado, condicionados pela capacidade de transformação do estômago, dos intestinos e do fígado. A combinação dos alimentos como já referimos, é fundamental para que a transformação se efetue normalmente, para que os detritos tóxicos sejam eliminados com regularidade, e deste modo o organismo não sofra uma intoxicação progressiva.

Teremos que comer com moderação e a proporção conveniente dos alimentos que nos são necessários?

 

Poderíamos dar como exemplo os Povos do Extremo Oriente, do Caucásso, ou os Hunzas, o Povo com mais vitalidade do nosso tempo, que vivem num planalto isolado dos Himalaias, longe da pseudo civilização Ocidental.

Boas Combinações Alimentares

  • 1- Proteínas com hortaliças e oleaginosas

  • 2- Cereais com hortaliças e oleaginosas

  • 3-Tubérculos feculentos com hortaliças e oleaginosas

  • 4- Cereais com frutos e leite

  • 5- Frutas ácidas e leite

Os Hunzas não utilizam alimentos industrializados. Fazem uma alimentação estritamente vegetariana (legumes, cereais, frutos) com alguns poucos produtos de origem animal, não consumindo por regra carne de qualquer espécie. A sua alimentação é à base de crus, saladas, legumes e frutos frescos no verão e secos no inverno. Este Povo cheio de longevidade e robustez devidas à sua vida muito próxima da natureza.

No Mundo Ocidental onde estamos inseridos fazemos uma alimentação quimificada muito abundante em carnes, produtos refinados e alterados, estimulantes, são a causa de muitos dos problemas mais graves que afligem a Humanidade.

Uma vez que é difícil modificar este sistema errado de coisas e fazer um retorno até à Natureza a um modus vivendus semelhante aos Hunzas, devemos gravar na nossa mente como regra fundamental aquilo que disse HIPÓCRATES “Que o teu alimento seja o teu medicamento, e que o teu medicamento seja o teu alimento”. É urgente que eduquemos o nosso comportamento e que estabeleçamos a diferença entre a saúde e bem-estar ou os transtornos, cada dia que passa mais pessoas tem revelado intolerância a esses produtos alterados, com metais pesados, químicos e outros aditivos, transgénicos e até com nanotecnologia, desprovidos da sua riqueza nutricional.

A fome manifesta-se por uma necessidade fisiológica real, indispensável à construção e reconstrução celular e à reconstituição das reservas energéticas. Contudo devemos estar alerta e desconfiar de certos gostos condicionados (sensações visuais, olfativas, gustativas) que não passam de apetências artificiais criadas pela desinformação da nossa Sociedade Consumista. Nunca se deveria comer até ficar com a barriga cheia mas como o ditado Hindu deixar o tamanho do punho vazio para as trocas gasosas, pois o estômago muito cheio torna pessoa mais mole, menos ativa e sobrecarrega todo o nosso organismo incluindo o cérebro.

É preciso ter cuidado com gostos condicionados que conduzem inevitavelmente a uma alimentação excessiva, uma mera necessidade fisiológica, que não se deve esgotar aí, como é usual dizer-se os olhos também comem. A Nutrição Racional deve ser considerada como sinónimo de gastronomia pelo que damos uma grande importância à apresentação dos alimentos e à decoração da mesa, porque a digestão tem início no momento em que o olhar se detém sobre os alimentos. Os mesmos deverão então passar por uma boa mastigação, em ambiente tranquilo, desprovido de televisão. Todo este mecanismo, tem a ver com o contacto entre a energia dos alimentos e a absorção que se reflecte no ser.

“Os nossos avós, que ignoravam mesmo a existência das vitaminas, praticavam a Alimentação Racional por instinto. Comiam fruta e alimentos crus em abundância e tinham uma forma excelente. Muito próximos da terra equilibravam as suas refeições e seguiam o ritmo da Natureza. ”

Naturopata/ Terapeuta Holístico Norberto Ribeiro
www.novasterapias.com
www.apthi.pt

Se gostou deste artigo partilhe com os seus amigos

Veja também