O que somos dentro, transpira para fora

Energeticamente o que somos dentro manifestamos fora.

O que nos confunde ou distrai é a máscara que usamos para esconder o que nem sempre queremos mostrar, principalmente quando a correspondência é óbvia!

Por ex.

Os medos que temos dentro criam resistência e rigidez lá fora.

A força que temos dentro espelha-se na tranquilidade que vemos fora.

A insegurança que sentimos dentro, revela-se na submissão lá fora.

A coragem que temos dentro, vê-se nas nossas iniciativas positivas lá fora.

A tristeza que temos dentro é reconhecida na apatia e depressão lá fora.

A alegria que temos dentro é explodida em doçura lá para fora.

A revolta que temos dentro mascara-se de vitimização lá fora.

A falta de amor próprio que temos dentro revela-se em arrogância lá fora.

Estes são apenas alguns exemplos das infinitas e curiosas correspondências que podemos encontrar quando comparamos a realidade para além das 3D com o que é na verdade a nossa energia a criar..

Os antigos Mestres Taoístas ensinaram-nos que o que está em cima é igual ao que está em baixo. Que o que está fora é igual ao que está dentro e vice-versa.
Por isso quando nos perguntamos em que estado estamos a determinado momento, observemos quem nos rodeia, quem nos inspira e quem nos irrita.

Já percebeste porque tens exemplos tão positivos e tão negativos na tua realidade?

Ou ainda lhes chamas de sortes e azares?

O que nos dá o poder pessoal que tanto ansiamos não é a força, a arrogância ou sequer diplomas, cargos ou bens materiais.
O que nos dá o poder pessoal é antes de mais a capacidade de reconhecermos e aceitarmos a nossa luz e a nossa sombra e só a partir daí saberemos então escolher quem queremos Ser com qualidade e o amor que (agora sim) já sabemos que merecemos.
Até se dar este processo de pacificação e equilíbrio interior, a busca do poder estará ainda algures presa ao exterior através de rótulos, dinheiro, posses, poder, razão, segurança e outras..
Então, quando já está consciente o caminho da Luz, o grande objectivo não é mais o simples ter fora, mas mais o Ser dentro. Da mesma maneira que não irá funcionar o apenas ser dentro e rejeitar o que está fora.

Ambas as realidade precisam não só de respeito e reconhecimento mas também de equilíbrio uma com a outra.

1- Procura então na tua vida um exemplo de algo que resistes fazer/sentir lá fora no mundo e procura a correspondência interior.

2- Procura também na tua vida um exemplo de algo que resistes fazer/sentir interiormente e procura como imaginas te condiciona lá fora no mundo.

Eu dou 1 exemplo meu:

1- Eu resisto a adoptar uma alimentação saudável e equilibrada o que corresponde internamente à baixa valorização e aceitação do corpo físico.

Tomar consciência é o que permite fazer novas escolhas mais saudáveis e mais alinhadas com quem quero ser.

Não tomar consciência delas é ficar preso nesses mesmos padrões inferiores e condicionantes sem sequer percebermos que são padrões inferiores e condicionantes…

Consegues encontrar as tuas correspondências?

Vera Luz

Deixe o seu comentário

Vera Luz
veraluz@luanova.pt

Vera Luz, autora portuguesa e terapeuta holística acredita que o sofrimento e a desorientação a que chegámos deve-se à ignorância espiritual em que vivemos. O seu trabalho com a regressão a vidas passadas e o estudo da Astrologia junto com os seus livros, têm a intenção de proporcionar a cada pessoa a informação que leve cada um a sair de padrões de perda doentios e a dar inicio a uma nova visão e à transformação interior essencial que o estado de paz e abundância exige. Hoje, o propósito do seu trabalho é ajudar cada um a identificar os seus padrões ​repetitivos e limitadores e relembrar o seu propósito espiritual, pois quando estamos alinhados com a nossa história pessoal e com a Fonte, a Abundância e a Paz interior acontecem naturalmente.



#Segue-nos no Instagram