Artigos, Desenvolvimento pessoal

O poder das Afirmações Positivas

O poder das Afirmações Positivas

O uso de afirmações positivas como método auxiliar de cura interior foi desenvolvido por Louise Hay, uma das pioneiras em terapia motivacional e de auto-ajuda.

Através da sua própria experiência, Louise foi desenvolvendo um método de auto-ajuda que consiste na utilização diária e consciente de afirmações positivas com o objectivo de reprogramar o nosso eu interior, de forma a fazer-nos enxergar o nosso valor e o nosso potencial.

Quando iniciei o meu processo de cura interior, li quase todos os livros da referida autora e deparei-me com o método das afirmações positivas com alguma resistência. Pensava eu que não seriam meia dúzia de frases soltas que iriam ajudar-me a mudar a forma como me via e como me tratava. Estava completamente enganada. A partir do momento em que comecei a fazer as afirmações, diariamente e com todo o coração, as coisas, efectivamente, começaram a mudar.

 

Infelizmente, a maioria das pessoas, à medida que cresce, vai perdendo confiança em si próprio. As pressões impostas pela sociedade, os padrões de beleza e comportamento que nos são exigidos desde cedo, acabam por moldar a forma como nos vemos. Em crianças, quando ainda estamos imunes à influência do mundo externo, somos seguros e confiantes, gostamos de nós e achamo-nos bonitos e capazes. Mas logo, logo toda essa determinação e segurança se desvanecem. Chegamos à idade adulta a acreditar que, afinal, não somos assim tão bons quanto isso; que. afinal, não somos perfeitos, o nosso corpo não corresponde à silhueta desejável, nem tão pouco temos um cargo profissional importante; que, afinal, não somos capazes de conseguir tudo aquilo que queremos. Crenças que, a pouco e pouco, se instalam na nossa mente e dão poder ao ego para que ele nos manipule e não nos deixe assumir o nosso verdadeiro eu.

Um eu que não se ama, que não se valoriza, que não acredita em si mesmo é um eu condenado a ficar doente: primeiro da alma e, mais tarde, do corpo. Está mais do que provado que grande parte das doenças físicas têm uma origem emocional [as chamadas doenças psicossomáticas]. No meu caso, sei perfeitamente que a minha doença [fibromialgia] foi desenvolvida precisamente por traumas emocionais aliados a uma baixa auto-estima e a uma guerra contínua que travava comigo mesma. Quantas pessoas não estarão na mesma situação? É por isso que é preciso agir, corrigir, traçar um novo caminho, um caminho de cura. E é aqui que entram as afirmações positivas. No fundo, não é mais do que nos voltarmos para dentro e resgatar o amor por nós próprios. Olhar no espelho, no fundo dos nossos olhos e reconhecer o quanto somos especiais, o quanto somos bonitos, o quanto somos capazes, o quanto somos corajosos, o quanto somos abençoados.

Eu sou bonita(o).
Eu sou confiante e segura(o).
Eu sou capaz.
Eu sou inteligente.
Eu sou compassiva(o).
Eu sou determinada(o).
Eu sou saudável.
Eu sou serena(o).
Eu sou feliz [imensamente feliz].
Eu aceito-me.
Eu respeito-me.
Eu sou próspera(o).
Eu consigo sempre tudo aquilo que quero.
Eu sou grata(o) [tão, mas tão grata(o)].
Eu confio.
Eu amo-me. Eu amo-me Eu amo-me, intensamente, indubitavelmente, infinitamente.

Estas são, apenas, algumas afirmações que podes fazer. Tira uns minutos para ti, logo pela manhã, e conecta-te com o teu eu interior, com a tua parte divina. Sente essa conexão, esse amor puro e verdadeiro. E faz as tuas afirmações, com toda a tua convicção e com todo o teu coração.

É quando começamos a amar-nos e a reconhecer o nosso valor que as coisas boas começam a acontecer. Porque quando nos amamos de verdade, quando acreditamos que somos capazes, a nossa vibração eleva-se de tal forma que o natural é que comecemos a atrair coisas maravilhosas para a nossa vida. Quando nos amamos e acreditamos no nosso potencial, a cura interior é uma certeza. Para que a vida nos ame, temos de nos amar primeiro. E quando aprendemos a amar-nos, a amar-nos incondicionalmente, somos capazes de tudo.

Se gostou deste artigo partilhe com os seus amigos

Veja também