Artigos

O olhar no presente, e uma viagem ao passado

Pouso o olhar no presente, este presente agreste e difícil que me faz viajar pelo passado como quem faz um balanço.

Nele revejo o que não fiz e o que não deveria ter feito.

Vejo que a vida foi generosa e madrasta.

Generosa porque prenha de sonhos, madrasta porque teima em não me dar tempo. Mas porque faço isto, o momento não é para balanços nem sou para essas coisas. Fui e sou feliz. Pronto! Que posso querer mais?

Mergulhar num mar sem fundo insistindo no seu limite. E disso que preciso é isso que quero. Para aqueles que teimam em me acompanhar neste mar sem fundo, pelo vosso carinho, amor, por teimarem em encontrar comigo o caminho para outro presente, o meu obrigado. Do coração muito obrigado. Hoje senti falta de vos dizer isto.

Pronto…disse.

Vitor Vicino Lopes
Se gostou deste artigo partilhe com os seus amigos

Veja também