Artigos, Desenvolvimento pessoal

Proposta terrena: honrar o plano que a alma traz

A grande proposta terrena é honrar o plano que a alma traz. Consciente da bagagem que carrega das suas vidas anteriores, a alma define um propósito de evolução que irá ter em conta duas intenções básicas;

– Responsabilizar-se pelos retornos das consequências das suas acções anteriores.
– Aprender uma mais sábia e equilibrada maneira de viver onde será cada vez mais capaz de ser e expressar amor.

A proposta é idêntica em todos nós. O que muda são os cenários, as personagens e os enredos de cada um.

Quando formos educados num sistema filosófico que nos ensine as leis universais desde pequenos, teremos a humildade necessária para perceber os retornos das nossas próprias acções passadas e seremos capazes de nos responsabilizar por dar a cada evento uma resposta positiva. Será o tempo em que viveremos tranquilos sabendo que uma inteligência maior leva a cada um o que é seu e impede cada um de atrair o que não é para si.

Enquanto não nos rendermos a esse sistema filosófico ou pior, vivermos sob um sistema de crenças que se baseia na sorte e no azar, que não entende as dinâmicas de atracção, que alimenta culpa, julgamento e vitimização, o ser humano irá ficar preso nas baixas energias da violência e do medo, realidade que ainda predomina nas notícias do tempo actual.

Para sobrevivermos, desacreditados e desconectados do poder maior que existe em nós, procuramos a segurança, o amor e o bem estar em algo exterior. Para isso, e em estado de inconsciência, fazemos contractos, arranjamos esquemas, mentimos, manipulamos, compramos, vendemos, matamos, roubamos numa deprimente e ilusória necessidade de sobreviver ao “caos” do mundo.

Um dia percebemos que o caos é de facto uma ilusão. Um dia somos finalmente capazes de ler os sinais, de perceber a mensagem das perdas, de ver que afinal as frustrações e o desgaste tinham apenas a intenção de nos religar à nossa verdadeira essência e à ordem maior.
Só depois de esgotarmos as velhas crenças e admitirmos que já não funcionam, estamos prontos para nos rendermos ao poder maior e reaprendermos a confiar na magia da vida.

Todos os dias sou testemunha destes processos na vida de cada um. Uns mais conscientes, outros menos mas todos maravilhosamente já em busca de entendimento da sua realidade.
Todos a lidar com o dilema interno comum a todos nós de termos que escolher entre o medo e o amor. Todos a gerir as suas capacidades de escolher honrar e seguir o que sentem ou ficar nas suas zonas de conforto. A enfrentar as suas sombras ou a manterem-se na ilusão da perfeição. A serem capazes de assumir a responsabilidade pelas suas histórias ou continuamente a culpar o mundo e os outros.

Num dia de Plutão/Vénus e Saturno/Mercúrio apeteceu-me agradecer, louvar, honrar, prestar homenagem e mostrar todo o meu respeito e carinho por todos os que se questionam e põem em causa. Por todos os que têm a coragem de querer saber a verdade de quem são e do que carregam dentro de si. A todos os que saem das suas zonas de conforto e se deslocam para crescer e evoluir. A todos os que pagam consultas, livros, workshops dando assim oportunidade à sabedoria superior de fazer magia nas suas vidas. A todos os que já deixaram ir os conceitos de sorte/azar, injustiça, manipulação e vitimização e que andam em busca da visão maravilhosa da vida onde “Tudo é Amor”.

Gratidão
Vera Luz

Se gostou deste artigo partilhe com os seus amigos

Veja também