Sou respeitado na medida em que respeito

“Um dia disseram-me que sou respeitado na medida em que respeito e, ao longo da minha Vida, fui aperfeiçoando o meu Respeito por Mim (tão essencial e descurado!) e pelo Outro (tão fácil de desrespeitar em diversas formas!).

Baseio a minha Vida neste lema, entre outros lemas, tentando respeitar (sim, nem sempre respeito, mas ao reconhecer que não respeito, reaprendo a respeitar!) o Outro, aceitando-o como ele É e não, como eu gostaria que ele fosse!

Respeito também o trabalho do Outro, a sua fonte de rendimentos, a expressão da sua Missão, a sua vocação e o seu talento e, respeito imensamente, o tempo que cada Pessoa dedica àquilo que faz e às Pessoas que são os principais destinatários, da sua expressão pessoal e profissional!

Por isso, desculpem que vá escrever o que se segue, não estando a apontar dedos a quem quer que seja, mas apenas a partilhar uma reflexão, um desabafo que possa proporiconar alguma reflexão de todos nós, que já convivemos com momentos e situações de desrespeito e onde, de certa forma, fomos desrespeitados e/ou onde também desrespeitamos!

Quando alguém se inscreve num evento e no dia não aparece sem dar qualquer justificação, está a faltar ao respeito ao organizador do evento e ao palestrante, que tiverem custos associados, que durante dias seguidos prepararam a formação! Mesmo que a formação seja gratuita ou com preço associado para os convidados para o mesmo!

Assisto, com alguma tristeza a esta pratica diária, escutando e vivendo também estas situações, fazendo o meu trabalho reflexivo sobre a situação e, na esperança de que quem falhou e faltou as respeito, consiga refletir sobre a sua atitude!

Há que respeitar os nossos princípios, valores e sentimentos, de modo a que por momentos, possamos conseguir colocar-nos no lugar do Outro, compreendendo a forma como o estamos ou não a Respeitar, como um Ser Humano igual a mim e com a sua individualidade!

Há que respeitar o Ser Humano por igual, onde quer que seja, sem olhar às distinções e distorções mentais, preconceituosas e estereotipadas, respeitando a sua forma de Ser, Sentir e Estar, respeitando a sua Liberdade, para que possamos então, ser também respeitados!

É preciso Respeito todos os dias pelo que Somos, Fazemos, Sentimos, ou seja, É preciso Respeito por cada Vida e por cada Viver!”

Ricardo Fonseca, 2016

Deixe o seu comentário

Ricardo Fonseca
ricardosousa@luanova.pt

Nascido em Lamego em 1982, Ricardo Sousa Fonseca é enfermeiro, escritor e terapeuta. Escreveu dois livros num registo intimista, quase autobiográfico, e participou em três coletâneas de poesia e uma de histórias de amor, demonstrando a sua versatilidade no mundo das palavras.​ No seu terceiro livro, Reflexos, compilou as suas reflexões publicadas nas redes sociais, sobre a vida, as relações, as experiências, de modo a cativar o leitor para uma reflexão sobre a sua vida. ​Colabora, através da redação de artigos sobre diversificadas temáticas relacionadas com a área de desenvolvimento pessoal, com a Revista Progredir, Revista Insights, Revista Nova Era, Revista Zen Energy e Revista e Optimismo, da qual foi coordenador editoral, em 2013. Desenvolveu o conceito de Escrita como ferramenta de Autoconhecimento (escrita terapêutica) que promove através da realização de workshops e palestras.



#Segue-nos no Instagram