Só podemos dar o que já temos

Só podemos dar o que já temos

Se eu já respeito o meu espaço eu dou espaço ao outro.
Se eu já sei estar em silêncio eu respeito o silêncio do outro.
Se eu já aprendi a escolher o que é melhor para mim eu deixo o outro escolher o que é melhor para si.
Se eu já aprendi a dizer sim e não conforme me faz mais sentido eu permito que o outro faça o mesmo.
Se eu já me valorizo eu já consigo valorizar o outro.
Se eu prezo a minha liberdade eu dou liberdade ao outro.
Só quando eu resgatar a noção de que sou responsável pelas minhas emoções eu deixo de cobrar o outro e ajudo-o a responsabilizar-se pelas suas.

Só podemos usar o que já está aberto e consciente em nós e por isso se torna óbvio que a maneira como lidamos com os outros descreve a maneira como lidamos connosco próprios. O mesmo se passa com as energias que já fluem em nós. Demonstramos o que já conquistámos em nós.
Este fenómeno torna-se mais óbvio em casos mais radicais. Por exemplo todos já nos perguntámos como é que vitimas se mantêm nas mãos dos carrascos ou como é que há mães que são incapazes de amar os seus bebés ou porque ha pessoas que aparentemente têm tudo para serem felizes mas são pessoas arrogantes ou vitimizadores ou tristes ou agressivas ou controladoras….!?
Porque simplesmente o amor, o carinho, a paciência, a tolerância, a gratidão, valorização pessoal, amor-próprio, a coragem que sabemos serem possíveis em cada uma das situações ainda são energias bloqueadas naquela pessoa, ainda estão inacessíveis ao seu nível de consciência, ainda não foram conquistadas e como tal ainda somos vitimas inconscientes da força resistente do ego e suas respectivas emoções básicas e violentas.
…e lembrem-se quando se apanharem a julgar alguém ou algum episódio que a Alma vem experiênciar TUDO. Seja o que for, ou já lá passaram ou ainda está na lista…
Vera Luz

Deixe o seu comentário

Vera Luz
veraluz@luanova.pt

Vera Luz, autora portuguesa e terapeuta holística acredita que o sofrimento e a desorientação a que chegámos deve-se à ignorância espiritual em que vivemos. O seu trabalho com a regressão a vidas passadas e o estudo da Astrologia junto com os seus livros, têm a intenção de proporcionar a cada pessoa a informação que leve cada um a sair de padrões de perda doentios e a dar inicio a uma nova visão e à transformação interior essencial que o estado de paz e abundância exige. Hoje, o propósito do seu trabalho é ajudar cada um a identificar os seus padrões ​repetitivos e limitadores e relembrar o seu propósito espiritual, pois quando estamos alinhados com a nossa história pessoal e com a Fonte, a Abundância e a Paz interior acontecem naturalmente.



#Segue-nos no Instagram